As novas mídias vão dominar o Mundo? Ou: Os NINJAS somos nós!

Siga o Ferramentas Blog: Canal no Youtube | Facebook | Twitter | Google+

Depois de longas manifestações pelo Brasil uma coisa ficou evidente: as novas mídias estão dominando a comunicação. A velha imprensa tem perdido relevância e influência, especialmente entre os jovens (de todas as classes sociais). Aqui tem um vídeo que todo blogueiro tem que assistir. Todos precisam ver essa entrevista que marca o início do fim da velha imprensa.

Fazer download do e-book Como Ganhar Dinheiro com Blog

Este post é apenas para levantar um debate e registrar mudanças que a internet tem oferecido ao mundo, tornando a comunicação realmente livre e isenta. Agora todos podem ter voz e vez. Por isso preciso pedir que você leia com atenção tudo e se puder, assista o vídeo da entrevista do Mídia NINJA ao Roda Viva da TV Cultura.

Não estou dizendo que o jornalismo vai morrer, mas fica claro que ele precisa mudar em sua forma e dinâmica. Quantas vezes os blogs e redes sociais são mais rápidos e eficientes em informar e multiplicar a opinião pública que qualquer outro meio de comunicação.

Lembro que a notícia da internação e morte do Michael Jackson foi dada primeiro por um site de fofocas/celebridades dos EUA, incluindo a foto na porta da casa do artista com a saída da ambulância. Uma foto tosca, feita por câmera de celular.

Aos poucos a mídia tradicional tem sido pautada pelas redes sociais e blogs, mas estamos vivendo um momento ainda mais especial: o novo jornalismo feito exclusivamente pela internet, totalmente independente (inclusive financeiramente), está pautando e alimentando canais de TV e jornais/revistas impressos.

Os novos NINJAS

Se até alguns anos atrás era preciso esperar a mídia tradicional filtrar – e até manipular – certas informações, hoje podemos escolher o que ver e ler. Nós mesmos somos nosso filtro e não precisamos esperar o Jornal Nacional para contar o que aconteceu ao longo do dia. Quando ligo a TV para ver o telejornalismo, tenho a impressão de assistir notícia ultrapassada e bem distorcida.

Como sou Católico, acompanhei a Jornada Mundial da Juventude o tempo todo. Mesmo com canais como a Globo News transmitindo tudo ao vivo, em tempo real, só me senti realmente informado acompanhando meus amigos e milhares de outros jovens nas redes sociais. Postavam milhares de fotos, vídeos e comentários do que realmente interessava, inclusive sabiam do que estava falando. Foram várias as vezes que os apresentadores da Globo News foram corrigidos pelos Padres convidados que estavam no estúdio.

Na segunda, 05 de Agosto/13, aconteceu uma entrevista no programa Roda Viva da TV Cultura com dois responsáveis pelo Mídia NINJA – o Pablo Capilé e o Bruno Torturra. Este é um grupo de ação coletiva, que foram responsáveis pelas principais transmissões e verdadeiras informações sobre os protestos do mês de Julho/13 (sobre o passe livre em SP, O Gigante Acordou pelo Brasil e tantos outros). Eles faziam transmissões em tempo real com celulares e notebooks e toda a comunicação foi feita exclusivamente pelas redes sociais e tecnologias disponíveis com a Internet.

Só para situar: no início das manifestações a imprensa tradicional se posicionou contra, criticou e até chamou os manifestantes de vândalos. Em pouco mais de 24 horas, toda a mídia tradicional mudou de lado e passou a apoiar as manifestações, tentando entender o que estava acontecendo. Foi graças às redes sociais e ações como a do Mídia NINJA que foi possível reverter a situação.

Assista:

Também na mesma segunda feita do dono da Amamzon – um dos maiores serviços de internet do mundo – comprou o Washington Post, simplesmente um dos mais influentes e importantes jornais impressos do mundo. A velha mídia sempre desprezou a internet e não levou a sério o potencial desse meio. Agora o Jeff Bezos, que ficou milionário graças à internet, tirou 1% de sua fortuna para comprar o tal jornal por 250 milhões de dólares.

Como praticamente toda a imprensa brasileira está falida e/ou sem perspectiva de futuro, incapazes de lutar contra as novas mídias, surge a oportunidade da verdadeira liberdade de comunicação e liberdade de informação. A democratização dos meios de comunicação está diante de nossos olhos, sem precisar de “Leis de Meios” ou novas regulações governamentais.

O nosso leitor Jota Fagner Alves publicou em seu blog um ótimo artigo motivado por este post. Recomendo que todos leiam:

Ainda estamos no início de tudo isso e nem dá para saber exatamente para onde vamos com tais coisas, mas é fato que tudo está mudando. parece que mudando para melhor.

10 Comentários

  1. Olá Marcos, sinceramente acredito que estudantes de jornalismo já não podem sair da universidade com um pensamento pequeno de tornar-se empregado quando, na verdade, podem ser patrões. O “bum” das novas mídias apresenta oportunidade tanto da verdadeira liberdade de comunicação e liberdade de informação quanto do empreendedorismo digital.

    Já não podemos achar que só é possível ganhar dinheiro se estivermos trabalhando para um jornal, revista, televisão ou rádio. Um blog, quando bem trabalhado, pode resultar em ganhos bem maiores que o piso salarial de um repórter iniciante (1.200,00), valor que varia entre capitais. Como estudante de jornalismo [apaixonado por blogs, marketing digital, webjornalismo, etc.] incentivo aos colegas que busquem vasculhar sites como o seu e aprendam sobre o fascinante mundo dos blogs e todo o potencial por trás dessa mina de ouro.

    O jornalismo da mídia ninja não é complicado de ser feito, tem seus pós e contras, porém agrada a população. Eles estão no meio da coisa, transmitem sem cortes, sem manipulação e conseguem forte engajamento dos leitores. É um jornalismo feito em uma página de rede social. Agora imaginemos em um site ou blog bem estruturado?

    Definitivamente, os ninjas seremos nós – futuros jornalistas e blogueiros como você, Marco, que buscam conhecer o potencial das novas mídias.

    Um abraço e parabéns pelo apanhado que fez sobre o assunto.

    Sucesso!

    Responder

  2. Eu acho realmente engraçado comentários dizendo que a nova mídia é independente e não sei mais o quê.

    As plataformas estão mudando. Isso é fato. Algumas coberturas têm sido feitas por pessoas que não são profissionais de comunicação, os grandes grupos de mídia do passado estão falindo. Mas, as conclusões que leio por aí são absurdas.

    O trabalho da Mídia Ninja se mostra importante em alguns momentos. Daí a dizer que são independentes, ou que são mais confiáveis do que o veículo X ou Y…

    Nenhum veículo é independente, nenhuma matéria ou artigo é independente. Sempre que você estiver lendo um texto, ouvindo um programa em áudio, acompanhando uma produção audiovisual, tenha em mente que aquele produto foi feito para te convencer de algo. A temática foi escolhida para te convencer, as fontes foram escolhidas para te convencer, a ordem em que os fatos aparecem, os fatos que foram omitidos, tudo foi pensado e organizado de forma a te convencer de algo. Mesmo que isso não esteja visível no primeiro olhar.
    O blog, as redes sociais, a internet como um todo, é apenas uma plataforma. Alguns veículos de comunicação estão desaparecendo porque seus métodos de monetização não são mais viáveis. Isso não significa que todos somos jornalistas. Não significa que os grandes conglomerados irão desaparecer, apenas serão substituídos por outros. O Google, Amazon, Facebook, são apenas os mais conhecidos personagens desse metiê.
    Os blogs permitiram a um número muito maior de pessoas amplificar sua voz, de modo que era impensável há 20 anos.

    [Continue lendo a resposta do Jota em: http://curiosidadesjornalisticas.blogspot.com.br/2013/08/midia-ninja-e-importante-mas-grande.html]

    Responder

  3. Que a imprensa tradicional está morrendo, é fato! Mas quando você fala de imprensa tradicional está falando só dos meios impressos ou a televisão também entra no meio?

    Responder

    • Bom, primeiro não acho que “está morrendo”, mas apenas mudando de forma. A Imprensa tradicional terá que se adaptar ou realmente morrerá.
      Chamo de “tradicional” todos os meios impressos, televisão e rádio.

      Responder

      • Concordo contigo: TV e Rádio são parte da imprensa tradicional e, precisam se adaptar às novas mudanças, Foi assim quando surgiu o cinema, foi assim quando surgiu o rádio, foi assim quando surgiu a televisão. A necessidade da informação devidamente apurada, no entanto, sempre estará presente. Gosto de artigos provocativos como este.

        Responder

  4. A mídia tradicional sempre manipula as informações, sempre a pautam por algum interesse interno. Eu mesmo já presenciei isso com algo que aconteceu na UNB, e a TV distorceu tudo conscientemente. O caso de jogar o público contra as manifestações foi flagrante. A internet trouxe a possibilidade da verdade vir à público, e todos podem produzir conteúdos. Acho isso fantástico.

    Seu artigo foi providencial, Marcos. Temos poder nas mãos e devemos usá-lo. Uma dessas formas é postando coisas verdadeiras, checadas, e com qualidade. Parabéns!

    Um abraço!

    Responder

  5. Realmente a velha mídia está acabando. Eu, por exemplo, não assisto mais TV! Todas as notícias estão no facebook e em portais de notícias… Na internet você tem a oportunidade de se informar da notícia de vários ângulos, através dos diversos meios que a veiculam.

    Mas é claro que, como todo império derrotado, não se dará por vencido e lutará para manter sua influência até sua última transmissão.. rs

    Abraços

    Responder

  6. Uma das maiores vantagens que vejo em acompanhar noticias pela internet, em relação à midia tradicional, é que além da noticia que me está sendo passada, em muitos sites/blogs temos a oportunidade de ler os comentários e ver visões diferentes sobre o assunto. O que enriquece o conteúdo. O caso recente da chacina de SP é um exemplo disso. à medida que, na midia tradicional informa uma coisa,na internet as pessoas debatem sobre assuntos e, alguns com mais conhecimento (especialistas, estudados), dão opiniões mais enriquecedora que a que temos tradicionalmente.

    Responder

Deixe um comentário

Ao comentar você concorda com nossa Política de Comentários.