Como Plagiar e copiar outros Blogs com eficiência

Siga o Ferramentas Blog: Canal no Youtube | Facebook | Twitter | Google+
Acesse AGORA: https://blogueiro.pro e se torne um Blogueiro de Elite.

Uma luta sem fim de blogueiros sérios é contra o plágio e roubo de seus conteúdos por terceiros. Já faço isso há mais de 4 anos e agora estou convencido de que não vale e pena lutar tanto se os plagiadores só se multiplicam. Por isso mesmo resolvi que é hora de mudar de estratégia e ensinar as pessoas como elas podem tirar proveito do trabalho alheio, copiando e duplicando os melhores conteúdos que encontrarem pela internet. Os resultados podem ser eficientes, inclusive sendo possível ganhar dinheiro só replicando conteúdo, no conforto de sua casa.



Todos querem ter um blog, mas nem todos conseguem ter tempo para criar conteúdo, encontrar um nicho que gosta. Além disso, as oportunidades estão aí para todos e a internet é muito grande. Vale a pena investir em criar um blog nem que seja apenas para usar o esforço de outros e levar alguma vantagem também. A internet é um terra sem leis e é feita justamente da livre circulação de informações.

A luta por legalidade na internet é uma luta perdida. Inclusive eu já até ensinei aqui como enganar outras pessoas usando a internet, para que você tire o máximo de proveito da ingenuidade dos outros:

Por que alguém vai criar um blog e querer que o que ela escreve fique restrito apenas às suas páginas? Se criou algo e colocou de graça na internet, todos têm direito de ler e de multiplicar, copiar, duplicar, plagiar… É disso que a internet se alimenta. Não existe essa de direitos autorais ou de respeitar a propriedade intelectual de alguém. Está na internet? Então não é de ninguém e é de todo mundo ao mesmo tempo. Vamos parar com a hipocrisia e deixar que todos copiem o nosso trabalho. Nem precisa citar os links originais.

Saiba pesquisar no Google

Antes de mais nada, para ser um bom plagiador, você precisa saber dominar o uso de uma ferramenta muito avançada da Internet. Sem ela, nada é possível: mecanismo de busca. Mas não pode ser qualquer buscador, tem que ser o Google – http://www.google.com.br. Este é o grande segredo. Com o Google você encontra praticamente tudo e com a vantagem de que o sistema deles já classifica os melhores. Quem aparece no todo do Google para algum resultado, sempre é o melhor conteúdo.

Se você for capaz de encontrar esses primeiros resultados no topo do Google para as palavras e assuntos desejados, então boa parte do caminho já foi percorrido.

Encontre o assunto do momento

Se você quer plagiar outros blogs, a melhor coisa a fazer é procurar primeiro quais são os assuntos do momento, o que está bombando na internet. Esqueça se você gosta ou não do assunto. Se é Restart o que todos estão procurando, este será o nicho que você irá investir.

O melhor mesmo é que você escolha logo uns 3 ou 4 assuntos que estão na moda para que você tenha mais chances de encontrar assuntos para copiar e duplicar. Basta criar um blog com um nome bem genérico, que sirva para qualquer coisas. Desse modo, se os assuntos mudarem, ninguém vai perceber se você também mudar de nicho.

Só plagiar os melhores Blogs

Nada de perder tempo procurando e lendo conteúdo de blogs menores. Vá logo nos que estiverem no topo do Ranking do Alexa, quais recebem mais visitas e comentários e quais blogs têm os blogueiros mais famosos. Se você vai copiar o conteúdo deles, pode acabar tendo sorte de surfar na onda da fama alheia. Se eles chegaram no topo com aquele conteúdo, então você tem que começar no topo também.

Não perca tempo lendo

A maior bobagem e perda de tempo é ficar lendo o que você está plagiando. Leia no máximo o título e as primeiras linhas só para ter certeza de que encontrou um bom material que o “seu público” irá gostar. Copie tudo o que estiver naquela postagem, inclusive as imagens e vídeos, até os links internos, externos. Só não copie a publicidade, já que você mesmo irá colocar a sua publicidade e monetizar o que copiar. Se você teve o trabalho de copiar, então tem o direito de ganhar algum dinheiro com aquilo.

Tem até plugins para WordPress que facilitam a sua vida, copiando e publicando automaticamente o Feed dos seus blogs preferidos e que você estiver roubando duplicando: Aqui tem um tutorial em vídeo ensinando como fazer.

Sem contato, sem nome e fora do país

Quando criar o seu blog para duplicar e plagiar o trabalho dos outros, seja esperto e crie um blog no WordPress.org e que seja hospedado em algum Host no exterior. Isso dificulta que o autor original tente denunciar você. O autor teria de saber inglês para falar com o suporte do Host e solicitar a bloqueio do seu blog, além de provar que é o autor original. Desse modo você tem mais chances de não ser pego.

Retire toda forma de contato de seu blog, inclusive modere os comentários sempre. Se o autor original quiser falar com você ele não via conseguir. Moderando os comentários você não corre o risco de alguém expor você como um plagiador, arruinando sua reputação de blogueiro. E, claro, nunca use seu nome verdadeiro. A internet é terra de ninguém e você pode ficar anônimo e impune.

Acredite que você está ajudando

Por fim, acredite que plagiar é algo bom e que você está ajudando a tornar a internet melhor, propagando o conhecimento e espalhando a informação. Blogueiros querem backlinks e ao citar a fonte no final do conteúdo duplicado, você está favorecendo o autor original. Ele só não receberá a visita, nem os comentários ou cliques devidos, mas o mais importante foi feito: alguém leu, e leu no seu blog. Você ficou com os créditos.

É preciso lutar para acabar com o domínio dos autores originais que só querem ganhar dinheiro sozinhos, sem ajudar ninguém. Ficam se gabando de serem capazes de criar algo único, gratuito, mas querem tirar proveito da internet sozinhos. Se você encontrou algo que gosta, a melhor forma de dizer que “curtiu” é mesmo roubando copiando e violando os direitos propagando conteúdos.

O mais provável é que poucos cheguem a ler esse artigo até aqui e muitos estarão indignados com esse meu artigo sem ter percebido a ironia por trás de todas as palavras. Outros, bem idiotas, os plagiadores de plantão, vão duplicar esse artigo achando que estão “vencendo” por verem um blogueiro do topo se rendendo a eles. Acredito até que alguns virão comentar e me dar os “parabéns”.

Melhor ainda serão os que realmente lerão até o fim, entenderão do que se trata esse artigo e terão aprendido uma lição ou até se divertido com tudo aqui.

O Plágio é invencível?

Muitos realmente acreditam nisso e vão continuar plagiando o trabalho de outros blogueiros originais. É bem mais fácil e prático do que tentar ser inteligente como o Paulo Faustino do Escola Dinheiro ou ser um empreendedor como o Gustavo Freitas do GFSoluções. Sem contar como é complicado passar anos compartilhando conhecimento gratuitamente como a Juliana Sardinha do Dicas Blogger.

O que os duplicadores de conteúdo não percebem é que tudo o que eles copiam já está de graça na internet de alguma forma. Multiplicar a mesma coisa não serve para nada, já que todos podemos ler o original, na fonte. Os melhores conteúdos já estão no topo das buscas e vão ser encontrados.

Eu não me dou por vencido. Decidi que, mais importante que criar conteúdo criticando o plágio e tentando educar as pessoas sobre isso, é mesmo denunciar sem dó (Adoro denunciar plagiadores e ver seus blogs/conteúdos deletados por completo). Comigo não tem diálogo, nem aviso prévio. Vou logo denunciando, seja quem for, de onde for. Vou direto na fonte do problema extirpando o plágio na raiz. Faço isso diariamente.

A minha recomendação para vencermos o plágio? Denuncie sempre que encontrar algo seu, por menor que seja. Não faça vista grossa e não tenha preguiça. Nada é mais educativo que a punição severa.

União de Blogueiros contra o plágio. Piada?

Uma série de blogueiros, de diversos nichos se juntaram nesses dias para publicar sobre o assunto, como uma forma de educar outros blogueiros contra o plágio.

Os plagiadores ligam? Os plagiadores estão rindo de tudo isso.

Eles não vão parar só porque um grupo de blogueiros se juntou num ideal de “salvar a blogosfera”… é, eu sei… eu também me juntei a eles e acabei escrevendo o milésimo artigo sobre o assunto em meu blog, na esperança boba de querer educar as pessoas pelas palavras… mas ainda assim acho uma bobagem.

Minha proposta para a União de Blogueiros? Juntem-se numa rede de denúncia e ajuda mútua para monitorar e vigiar a blogosfera contra os plagiadores. Se eu vigio e protejo o meu conteúdo, sempre encontro outros blogueiros amigos sendo plagiados também. Agora se eu os avisar e nos juntarmos para denunciar os plagiadores, aí sim estaremos vencendo.

Portanto, minha proposta é: denunciem sempre e ajudem-se mutuamente numa rede de denúncias e informação contra o plágio. Claro, escrevam em seus blogs artigos sobre o assunto e ajudem a fortalecer a boa educação e os bons modos na internet.

O que eu penso dos plagiadores e de quem defende o plágio? São um bando de FdP, criminosos que merecem pagar multa, ficar na cadeia e pagarem indenização por violar direitos autorais. São idiotas ignorantes que se acham mais espertos que os outros, mas são tão burros que nem merecem a comida que comem.

ATUALIZAÇÃO: Não aceitarei comentário censurando minha linguagem ou a forma como abordei o assunto. Qualquer tentativa de censurar meu artigo ou meu trabalho será devidamente excluído.

Já pensou em ser um(a) Blogueiro(a) mais Profissional?

Está cansado(a) de ser um blogueiro mediano(a) e que não tem resultados com seu Blog, não ganha dinheiro e não recebe as visitas que gostaria?

Você chegou aqui procurando como aprofundar seus conhecimentos em Blog, como Ganhar Dinheiro com seu Blog, aplicar as melhores técnicas de SEO, divulgar seu Blog e fidelizar seu público alvo. E posso te ajudar com essas coisas e muito mais, elevando o nível de qualidade do seu projeto.

Desenvolvi um curso completo, totalmente online, cobrindo tudo o que é necessário para um Blog atingir seu potencial máximo, detalhe por detalhe, que vão te tornar um Blogueiro de Elite:
  • Técnicas de produção de conteúdo
  • Fidelização do Público alvo
  • Divulgação e Técnicas de SEO
  • Métodos e técnicas de Monetização
Acesse AGORA: https://blogueiro.pro e se torne um Blogueiro de Elite.

Esta é sua chance de ser mais profissional e ter um blog eficiente, completo e que pode ser sua fonte de renda permanente. Sou Blogueiro desde 2007 e condensei todo este conhecimento dentro do curso Blogueiro de Elite para entregar a você.

123 Comentários

  1. Concordo com o fato de que o que devemos fazer é denunciar.
    É simplesmente impossível querer conscientizar as pessoas, as pessoas são cabeça dura, e a maioria não faz nada ao presenciar o plágio, tentar conscientizar gente assim (principalmente o brasileiro que, com todo respeito a minha própria naturalidade, é bem preguiçoso) não dá efeito.

    Juntar vária pessoas para denunciarem é dezenas de vezes mais efetivo !

    Muito bom seu post =)

    Responder

  2. Eu acho que copiar um post de outro blog é uma forma de atingir mais pessoas com o conteudo daquele blog tipo se eu tenho um blog de download e ganho por downloads e outra pessoa vai la e pega o link e coloca no blog dela ela esta me ajudando a ganhar mais dinheiro com meu blog e ela estara com mais visitas no blog,E isso é blog bom para todos.
    acho que é otimo para todos e vc ?

    Responder

    • Obrigado, Thiago, por ilustrar com sua opinião o nível de ignorância de um plagiador ou de alguém que viola direitos autorias alheios..
      Seu exemplo é fruto de uma mentalidade limitada que não entende para que serve a internet, não foi capaz de ler o artigo até o fim e nem mesmo entendeu o pouco que leu.

      Grato!

      Responder

      • Cara eu estou falando de colocar os creditos para aquele que site/blog que criou o post não sair pegando os post Só no “Ctrl+C Ctrl+V” E falando com o dono do site para ver se ele deixa pegar parte ou o post inteiro,E tambem Eu li o post sim mas quiz deixar minha opinião ao assunto,Obrigado

        Responder

        • Thiago,
          Com permissão do autor, você pode fazer o que quiser.
          O que somos contra é a cópia (mesmo citando a fonte) quando o autor não permite. Isso é errado e é contra a lei.

          Responder

          • vc escreveu um puta texto ensinando a copiar descaradamente ai voce insulta e repreende o cara com a proposta dele que sendo o link do site original publicado em sites de terceiros, o dono do site original continua a ganhar o dinheiro pelo link, ao contrario do que vc postou q so beneficia o plagiador. Hipócrita metido

            Responder

            • Eduardo,

              insulto e hipocrisia é você vir até o meu blog para criticar sem ter o caráter de ler o artigo antes de comentar.
              Gente idiota e limitada não consegue entender ironia e é incapaz de ler um artigo grande e complexo como este. Com certeza você só leu o título e os subtítulos, e nem deve ter passado da metade do texto. Percebo que, pelo seu comentário, não foi capaz de ler nem os comentários anteriores a este.

              Aprenda ler primeiro.

              Responder

      • O que tem demais um blog de download? Nunca visitou o Baixaki? Não confunda download com pirataria. Grato.,

        Responder

        • Realmente é preciso diferenciar um blog de conteúdo para download que oferece material legalmente aceito e aqueles de pirataria. Oferecer download de coisa protegidas por direitos autorias é crime.
          Mas se o blog não é disso, não tem problema algum.

          Responder

    • Cada um tem a sua opiniao, Eu fasso isso as vezes, ta serto que o cara teveuitp trabalho e tal pra fazer o post mas para pessoas que está iniciando agora não vejo muito problema fazer isso

      Responder

      • Tem problema porque, além de ser CRIME previsto em lei, prejudica o trabalho do autor original.
        É ainda pior se for praticado por um blogueiro que está iniciando, pois isso irá atrasar ainda mais seu desenvolvimento. Tem que começar do jeito certo, fazendo as coisas certas, sem desculpas e sem prejudicar os outros.

        Responder

  3. O artigo ficou excelente e mostra a atitude egoísta e negativa da maioria dos plagiadores.

    Só acho que você está bastante bravo, né…

    Acho que mudar o mundo a gente não consegue, mas ser solidário com aqueles que tem os seus conteúdos copiados é uma “forma inteligente” de dificultar a vida de quem é, no mínimo, folgado.

    Existem pessoas que agem de má fé e existem os que agem por ignorância. Copiam, colam, recebem por email e acham “interessante divulgar” nos seus blogues.

    Existem casos e casos de plagiadores.

    Buscar o diálogo, informar e denunciar são atitudes que valorizam o trabalho daqueles que se dedicam a oferecer um bom trabalho….

    Deixo o meu abraço pra você.

    Responder

    • Liliane,

      você tem toda razão. Existem casos e casos. Aqueles que estão plagiando por “inocência” são os que se convencem de que estão fazendo algo errado quando leem nossos artigo ensinando o que é certo. Esse aprendem e são educados.
      O problema e meu foco nesse artigo são os que fazem isso por maldade, por puro prazer em roubar o trabalho dos outros e querem tirar proveito.

      Responder

      • Marcos, quando iniciei com meu blog não tinha nação do problema. Mas depois de tomar conhecimento e por falta de tempo, parei de copiar o conteúdo dos outros. Cheguei até a publicar um post recriminando o plágio também. Desde então, parei de publicar até que possa ter tempo para escrever assuntos originais.

        Fiquei muito surpreso quando comecei a ler este post. Tomei um susto! Mas logo entendi do que se tratava.

        Sou muito grato pelas orientações!

        CLÁUDIO
        RECIFE-PE

        Responder

  4. Já denunciei tantos artigos pro Google por causa de plágio que devem estar até no automático lá para excluir, lol.

    Enfim, gostei do artigo. Mas, felizmente, a maioria de blogs que vejo com conteúdo plagiado são com MUITA má qualidade. Templates mal feitos, erros ortográficos, imaturidade em textos e no geral horríveis. Provavelmente blogs assim não durem nem 1, 2 meses.

    Marcos, tenho uma perguntinha, o que você acha de grandes sites que se baseiam em notícias de outros sites grandes, como sites estrangeiros, para postar? Um exemplo é o Baixaki Jogos ou Tecnoblog, que sempre se baseiam em artigos de grandes sites dos EUA que postam em primeira mão notícias.

    Responder

  5. caracas,meu…Marcos voce é incrivel…que meda agora me deu da sua nova personalidade atrevida!!! rsrs brincadeirinha! És o ciber conselheiro fantastico!!! Bjão otimo domingo!<3

    Responder

  6. Muito bom Marcos.

    É sempre uma boa iniciativa, combater e denunciar plágio. Plagiadores são pessoas sem caráter, que assumem a autoria do que não criaram ou “copiadores” irresponsáveis e inconsequentes. Muita gente boa e de bem, termina desavisadamente, reproduzindo tais enganos em seus Blogs e Sites, gerando audiência indevida para esses criminosos, parasitas intelectuais. O plágio se dissemina rápido feito praga. Já os esclarecimentos lleeennntttaaammmeeennnte.

    É o caso do meu poema: A pedra. Ele circulava como de autor desconhecido ou com o nome de plagiadores. Agora aparece como de Chaplin, Renato Russo, Fernando Pessoa, sem citar a autoria…
    O real autor é Antonio Pereira (Apon). Todos os esclarecimentos em:
    http://www.aponarte.com.br/2007/08/pedra.html

    A forma original do poema:

    O distraído, nela tropeçou,
    o bruto a usou como projétil,
    o empreendedor, usando-a construiu,
    o campônio, cansado da lida,
    dela fez assento.
    Para os meninos foi brinquedo,
    Drummond a poetizou,
    Davi matou Golias…
    Por fim;
    o artista concebeu a mais bela escultura.
    Em todos os casos,
    a diferença não era a pedra.
    Mas o homem.

    Se possível, conto com a colaboração na divulgação desses esclarecimentos em Blogs/Sites e Redes Sociais.

    Um grande abraço.

    Antonio Pereira (Apon)

    Responder

  7. Olá Marcos Lemos,

    Muito bom seu artigo! Criar uma rede de denúncias com certeza é uma atitude bem mais eficaz do que as campanhas, mas acredito que tudo é válido. Não podemos mesmo é baixar a guarda.
    Gostei da forma como abordou o assunto, a ironia sim, é uma linguagem que os plagiadores merecem.

    Grande abraço!!!

    Responder

  8. Este artigo é para desanimar mesmo.Parece que estamos sendo plagiados desde o primeiro post e ninguém faz nada.A vontade que dar é simplesmente excluir qualquer blog e parar com tudo.Ficar só vendo alguns videos que não leva a nada e pronto, do que passar horas e horas produzindo algo e simplesmente alguém surrupiar teu trabalho é revoltante.

    Responder

  9. Olá Marcos, boa tarde. Sei exatamente o que é isso, estou sendo plagiada exatamente da forma que vc descreveu! Parece até que conhecia a minha história.
    Só posso entender alguns comentários aqui se imaginar que a pessoa não tem um blog, tem um blog pequeno ao qual não dá a mínima importância e nunca foi plagiado.
    Se trabalhamos (como eu por exemplo, de domingo a domingo, mais de 16 horas por dia) temos todo direito de lutar e falar em nossos blogs sobre os plagiadores, que ROUBAM sim descaradamente nosso conteúdo, acabam por dividir nossas visitas e nossos cliques (sim são nossos)
    Parabéns pelo artigo.

    Abç.

    Responder

  10. Marcos,
    parabéns pela criatividade ao escrever o artigo.
    Nunca fui de me preocupar muito com plágio, até por que em virtude da quantidade de artigos que escrevo todos os dias em meus vários projetos, pouquíssimos artigos meus são plagiados e geralmente o blog e tão mal feito que some rapidamente.
    Mas sou totalmente a favor de combater essa prática e recentemente tive um problema sério com um blog recém criado no nicho de novelas. A pessoa estava plagiando e como o “portal” dela é muito mais antigo que meu domínio, ele aparecia na minha frente nos artigos que me plagiava roubando minhas visitas. A minha sócia no projeto, e que se esforça muito pra produzir um conteúdo de primeira qualidade, quase desanimou. Entrei em contato com ele e ele retirou o conteúdo, mas depois começou a copiar apenas as partes importantes e dizer que não estava copiando. Fizemos um pegadinha pra ele e colocamos meu sobrenome e o apelido da autora e lá estava no artigo dele…rs…
    É o que você falou, eles nem leem.
    Já tive outros casos em que a pessoa debochou do meu texto que ele copiou, dizendo que aqui não era um texto de qualidade e que já tinha excluído do blog dele pra não passar uma má impressão para seus leitores… parece brincadeira, mas é verdade.
    Sou totalmente a favor do movimento e só não aderi ainda pois estou trabalhando pesado pra tentar terminar meu primeiro e-book “pago” para lançar o mais rápido possível, mas mesmo assim tentarei escrever algo já nessa segunda.
    Abraço.

    Responder

  11. Cara eu também não tenho dó, eu denuncio na hora, não tem essa de comentário para pedir para tirar o conteúdo ou mandar e-mail.
    Inclusive espertinhos que copiam o texto inteiro e colocam a fonte sem hiperlink e do tamanho de uma bula de remédio.

    E nenhum nunca veio reclamar, eles sabem que é errado!

    Responder

  12. Um post totalmente supercalifragilistaexpicialidocious!!! 🙂

    O caso da Juliana Sardinha, além das cópias, é o registro do nome do blog em várias extensões, do tipo .org, .net e por aí vai. Esses safados acham que por ter o mesmo nome pensam que vão ficar no topo das pesquisas.
    O pior é que nem dá para reclamar, pois o nome estava disponível e o esperto foi lá e registrou.
    Deveria ter um código ou sistema de segurança contra cópias de nomes de url. Empresas grandes como o Google ou Apple, na medida em que descobrem que alguém registrou um domínio com os seus nomes, entram em cena com os seus poderios econômicos e resolvem na hora. Infelizmente a Juliana não tem esse poder.

    Responder

  13. Parabéns Marcos Lemos e Ferramentas Blog. Acho que o caminho é esse. O ser humano da atualidade sente-se o todo poderoso aos usar o “Copiar-Colar” e não irá parar a não ser quando isso lhe estiver pesando no bolso. Denúncia neles.
    Gostaria também de saber se com o meu site você me considera um plagiador.
    O site http://www.soudoserido.com.br e um sistema criado para republicar as noticias dos blogs da região do Seridó-RN.
    Nele estão as noticias de cerca de 100 blogs onde ficam as 10 últimas noticias de cada blog. Mais para lê a noticia o internauta é levado para o blog original da notícia.

    Gosto demais de tê-los no meu feeds de notícias. Parabéns e sucesso.

    Responder

    • Ricardo,

      Se o conteúdo do seu blog é feito puxando notícias e conteúdo de outros blogs, então é plágio, mesmo citando a fonte. A não ser que você tenha autorização explícita dos autores para republicar as notícias e conteúdos deles.
      Caso o que você faça seja só indicar o link sem copiar nada (ou menos de 100 palavras) do artigo original, só para indicar que a notícia existe, então não vejo problemas.
      Mesmo assim é bom pedir autorização para fazer isso.

      Responder

  14. Marcos:
    Caramba… pensei que tivesses endoidecido com o casamento! 🙂
    O plágio é um tema muito complicado no que toca a internet… Mas não é só no que toca a blogs e sites… até em fóruns vejo muitas vezes o conteúdo do meu blog replicado a 100%, às vezes até sem link de referenciação. Eu passo muitas horas pesquisando e escrevendo um artigo para o meu site (www.ficargravida.com)… também porque, como estou a fazer doutoramento, já não consigo ser tão expontânea na escrita – ainda que tenha conhecimento sobre o tema – e procuro sempre fundamentação científica (algo importante no meu nicho de mercado). Por isso fico tão irritada quanto tu ficas com plágios!
    Mas julgo que há uma forma de impedir que o ctrl+C seja usado num site…é um recurso amplamente usado em algumas revistas científicas Gostava muito de fazer isso no meu site. Tu sabes como fazer?

    Responder

    • Margarida,

      Sim, existem códigos que impedem a cópia do conteúdo, mas mesmo assim esses códigos podem ser burlados. Já ensinamos aqui mesmo no Blog alguns e pode ser usado como alternativa para dificultar a vida dos plagiadores mesmo.

      Responder

      • Marcus
        Obrigada pela tua dica! Já pus o código no meu site e já está a funcionar! Vi no te artigo https://ferramentasblog.com/2008/10/protegendo-o-contedo-do-blog.html
        que ainda não tinha lido! Recomendo: afinal, sempre é uma forma de travar um pouco o plagiador, pelo menos o do tipo mais preguiçoso!
        Só uma questão: coloquei o código logo após o , como sugerias no teu artigo, mas esse era o local onde tinha as meta tags do site… ficaram logo a seguir a esse código. Não faz mal, pois não? O que interessa é que estejam dentro daquela secção, não é? (desculpa a pergunta mas não percebo NADA de Html e, pelo contrário, confio cegamente na tua opinião…)

        Obrigada desde Portugal! O teu site tem sido uma mais valia para o meu site!

        Responder

  15. Moro em uma região do Japão onde não há blogueiros, geralmente eles estão em Aichi e Nagoya e eu em Nagano ken. Então posto imagens dessa área onde moro ou então notícias esclarecedoras como o caso do YouTube e a lei que entrará em vigor. Uma vez ou outra vem alguém ao meu blog copiar meu conteúdo, imagens e nem pedem autorização. Falta respeito, falta princípios por parte de muitos…

    Responder

  16. É verdade! Eu mesmo em 2009, queria ter um blog, mais nem sabia ao certo sobre qual tema. Meu blog era um plágio de tudo quanto era coisa, nada a ver com nada. Mais não durou muito. Passei 1 ano e meio sem ter blog, voltando a “bloggar” em maio desse ano, escrevendo meus artigos sobre assunto que eu gosto, que acabei aprendendo lendo. Usando a minha escrita, minhas idéias…Minha opinião.

    Ou seja, blogs que fazem plágio podem durar alguns anos, porém quanto mais tempo e mais publico é gerado. Esconder a verdade de 1,5…10,20, 10 Leitores é fácil. Agora mil, com certeza terá alguém que saberá sobre as fontes originais.

    Responder

  17. Assino embaixo: tolerância zero ao plágio!
    Tb sofro muito com os plagiadores no meu site Espirito Outdoor.
    Essa semana mesmo estava conversando com um editor de um blog de esportes pra tentar criar uma campanha contra o plágio!

    Responder

  18. Marcos, eu nunca fiquei tão assustada ao ler um post seu (rs).
    Sempre, todos, leio até o fim e ainda passeio pelos comentários. Este eu fiz questão de parar tudo que estava fazendo para ter certeza de que estava lendo você ensinando a plagiar.

    Adorei a forma em que abordou o tema. Acredito muito que plagiadores mil cairão no Ferramentas para aprender a plagiar direito… e, infelizmente, acho que eles não lerão até o fim do post. Porém, vou torcer pelos plagiadores profissionais que, provavelmente, lerão até o fim e, quem sabem, sentirão vergonha do que fazem.

    Responder

    • Ana Cláudia, assim como você também levei um ‘choque” rss… E pensei o mesmo, muitos virão em busca de aprender a plagiar e se não lerem até o fim vai ficar por isso mesmo…

      Responder

  19. Bom, li tudo e…desculpe a sinceridade, mas: Você não foi feliz na idéia da obordagem do tema.
    Outra coisa, você atualizou:

    ” ATUALIZAÇÃO: Não aceitarei comentário censurando minha linguagem ou a forma como abordei o assunto. Qualquer tentativa de censurar meu artigo ou meu trabalho será devidamente excluído.”

    Acredito que se você escreveu isso tem que saber ouvir críticas e elogios. Afinal, como vc mesmo diz: está tudo de graça na internet…

    Responder

    • Val,

      Eu aceito críticas, quando são fundamentadas.
      Coisa do tipo “Você não foi feliz na idéia” sem explicar porque se pensa assim, isso não é crítica nem é relevante para o debate.

      Tenho o direito de atualizar meu artigo se isso for pertinente. Algumas pessoas não criticam, elas querem apenas impor sua opinião sem respeitar o espaço do blog alheio.

      Quer discordar do que escrevi? Ok. Então venha com argumentos… ok? Faltou argumento no seu comentário, por isso mesmo ele é desnecessário ao post e passível de ser excluído. Mas quem sabe você volta e apresenta seus argumentos de forma mais clara.

      Responder

  20. Olá Marcos!

    Plagiar é muito simples e exige pouco tempo, comparando com a produção de conteúdos originais. Porém, mesmo sabendo que plagiar não é o que se deve fazer, é feito assim mesmo. Mas o desafio que deixo é que o tempo que gastamos para plagiar conteúdos dos outros deverá ser investido na produção original. Uma das coisas que pus no meu coração quando criei o meu blog é não postar nada plagiado, porém exclusivamento conteúdos originais e ‘Guest Post’, e tenho visto os resuldados nas minhas estatisticas. Mas isto tudo provém de organizar-se e disponibilizar tempo para pensar e escrever.
    Portanto, seja original!

    Responder

  21. Os Kibadores como são conhecidos são os “trolls” dos blogs, já denunciei vários que copiam meus artigos e vou caça-los sempre. O meu maior prazer é ver o blog deles deletados e exterminado da internet.

    Responder

  22. também concordo to fazendo meu blog e acabando ele agora e vou começar a posta conteúdo. a demora que a gente tem que prepara, escrever criar ideias demora dias ou ate semana pra faze uma só postagem e eu ainda que vou faze vídeo da postagem como vai ser de jogo vai ter vídeo e postagem pra quem não quer ler, mais acho uma falta de criatividade porque todo mundo consegui faze seu próprio conteúdo são uns folgados eu denuncio e sempre foi denunciar esse tipo de ato porque isso é roubo pra mim ¬¬”

    Responder

  23. agora eu pergunto:para que ferver a cabeça procurando plagiadores?não vale a pena.eu mesmo antes de entrar para o mundo dos blogs eu pensei nisso,e vi que não vale a pena esquentar a cabeça com isso.por isso eu permito que copiem meus posts,desde que citem a fonte.se todos os blogueiros fossem assim eu acho que não iam ter blogueiros estressados com isso como a juliana sardinha e você.

    Responder

    • Não somente os blogueiros são contra o plágio e as cópias. Há muitos leitores como eu que odeiam sites que copiam de outros. Qual é o sentido de reproduzir algo que já está disponível na internet? Até gosto de ler vários artigos sobre o mesmo assunto, mas não suporto cópias. Quando encontro plágios, denúncio para os verdadeiros autores.

      Responder

    • Robson,

      É mais fácil mesmo pensar assim como você. Dá menos trabalho e, aparentemente (aparentemente) e só aparentemente, o plágio não causa nenhum mal. Mas causa grandes problemas, principalmente de SEO (indexação no Google). É comum que alguns plagiadores apareçam primeiro no Google, no lugar dos autores originais. Eles ficam com o crédito, a fama e até o dinheiro dos anúncios de quem realmente fez o trabalho.
      E repare que eu só apresentei um problema e esse já é um problemão.

      Se você não se importa com o plágio, então deixe isso claro no seu blog e crie um texto, uma “Política de Conteúdo” para explicar como o seu conteúdo pode ser copiado e usado por terceiros.
      Entendo o seu ponto de vista e é comum mesmo que muita gente não se importe, pois o blog é apenas um passa-tempo.

      No meu caso o Blog é meu trabalho, então estou defendendo o meu trabalho e meu conhecimento, contra outros que querem se aproveitar. Por isso não permito cópias e sempre as combato.

      Responder

  24. Oi Marcos,

    Você abordou o artigo com perfeição sobre o plágio, até outro dia teve um infeliz que comentou em um dos seus artigos que iria copiar para o blog dele.

    Mas fiquei com uma dúvida: Eu posso compartilhar o conteúdo original de blogues que admiro nas minhas redes sociais? Isso é um plágio?

    Responder

    • Wagner,

      Divulgar os links de seus blogs preferidos nas redes sociais é muito diferente de plágio. Nesse caso você está realmente ajudando o Blogueiro, já que para ler o artigo a pessoa que ver o link terá de clicar e ir para a página do autor original. Você não fica com os créditos, mas o dono, sim!
      esse é o jeito certo de fazer as coisas.

      Responder

  25. É Marcos, é uma luta sem fim…
    E o pior mesmo é saber que “a felicidade não é deste mundo”…
    O negócio é brabo e a ignorãncia é grande…
    A criatividade é pouca e rara…

    Felizmente, inteligência não se copia, determinação não se copia, compromisso não se copia… todos esse plagiadores estão fadados a ganhar ninharias, por que não possuem o que é preciso para serem bem sucedidos…

    Mesmo que você não os denuncie, eles morrem por si só, como um pedaço de cocô que se deteriora sozinho na natureza, sem ninguém precisar ajudar…

    Sabe qual o problema do mal? É que ele destrói, primeiramente, a si mesmo…. hehehe

    Abraço

    Responder

  26. Parabéns! Muito legal este post. Quase não chego a ler até o fim pois não gosto de copiar. Mas por menos que este não é um assunto de meu interesse eu o li pela fácil maneira de ser interpretado. E te garanto um coisa, cópia nunca vai ser igual ao original. Quando queremos escrever sobre um assunto é até interessante que ele já esteja escrito. Então o ideal é ler todos os artigos possíveis da área e depois que tiver um bom domínio escrever um artigo mais completo ainda juntando todas as informações possíveis, aí sim você terá repercussão, pois terá um conteúdo mais completo. Eu mesmo faz um bom tempo que venho lendo vários artigos em uma única área e mesmo que estes artigos já existam pretendo fazer um conteúdo único e completo com minha interpretação e com minhas próprias palavras e explicações.

    Responder

  27. Bom, na minha opnião tudo depende do conteúdo a ser duplicado. Se é um conteúdo criado com o objetivo de alcancar o máximo de pessoas para um determinado fim, como evangelização, a cópia do conteúdo não seria errada, desde que se cite a fonte. Na verdade até mesmo os melhores blogs cristãos tem esse “sistema”. Eu mesmo tinha um blog onde compartilhava conteúdo religioso com fim de evangelização, mas como tinha poucas visualizações acabei fechando o mesmo. Eram blogs com o único objetivo de evangelismo, geralmente seus autores nem usam o blog como trabalho, mas como um serviço voluntário… Nesse caso não vejo problema. Mas no caso deste blog acho errado e injusto, estou pegando leve, alguém copiar o trabalho do amigo Marcos Lemos, afinal esse blog é sua atividade profissional, seu sustento. Mas tudo depende de um pouco de vontade de alguém entrar em contato e solicitar autorização do autor do artigo… E creio que copiar o conteúdo de algum lugar uma ou outra vez não seja problema, mas usar todo o esforço e trabalho alheio em toda postagem é muita ousadia.

    Ah, e já entrei em blog cujo ctrl+c e ctrl+v foram bloqueados, o que acaba com plágiadores e copiadores, afinal quem tem preguiça de criar seu próprio conteúdo, também tem preguiça de digitar o texto de outro!

    Responder

  28. O desfecho do teu artigo foi bárbaro! Mais uma vez desculpo-me por ter dado minha opinião sem antes ter finalizado a leitura do texto. Realmente, fez toda a diferença ter prosseguido a leitura. Valeu!

    Responder

  29. Marcos,

    O que muito me surpreende é que alguém tenha se
    “assustado” com o teu post. Que alguém tenha, por
    um segundo, imaginado de loooonge que você estava
    ensinando a plagiar. Ora! Nem bem terminei de ler
    o link “Como plagiar e copiar outros blogs …” eu já
    sabia o que ia ler! Já conheço teu estilo, e ADORO
    tua ironia refinada e certeira, quase machadiana. Concordo com cada palavra, e só não digo “em gênero,
    número e grau”…rs porque aí já seria sacanagem…rs abração, menino. Você é dez.

    Cris

    Responder

  30. Parabéns pela matéria Marcos. Combater o plagio na internet realmente ainda é e será um problema. Porém, não podemos abaixar a cabeça para esses plagiadores de plantão.

    Pra mim, o plagiador é um BURRO, TAPADO, INGUINORANTE e incapaz de ter inteligencia de escrever sua própria matéria.
    #fato

    Responder

  31. Pôxa, levei um susto quando comecei ler esse artigo. Estou começando blogar agora, encontrei seu blog e o peguei como referência. Virei fã mesmo, como coloquei em um comentário em outro artigo. Ao começar a ler fiquei muito decepcionada, mas fui até o fim. Ufa!Que alívio.
    Antes de começar meu blog, aprendi que não se deve copiar e sim criar ou reinventar.Tenho orgulho de dizer que nunca copiei conteúdo alheio. Meu blog passa dias sem atualização se eu não consigo colocar um conteúdo legal. Já copie uns trechos de meus artigos e coloquei na busca,e o resultado foi que em meia dúzia de blogs eles estavam lá, na íntegra. Isso me desanima. E o pior é que os donos do blog nem tchum pra minha reclamação.O que fazer nesse caso: ignorar e continuar ou desistir do meu blog? Tô pensando seriamente no assunto.
    Um abraço!

    Responder

  32. Nossa è minha primeira vez no seu blog,e de inicio q estava lendo fui me assustando rsrsrsr
    No fim do post ri mais ainda ,juro q de inicio pensei que vc era um doido da net,achei q tinha surtado.
    Pois cheguei aq por um video seu no youtube e vc me parecia uma pessoa normal e correta,e ja no primeiro post leio tudo aquilo…..Parabenszsss òtimo trabalho

    Responder

    • Janaina,
      As vezes precisamos “assustar” um pouco as pessoas para conseguir a atenção necessária para assuntos importantes.
      Fico feliz por ter gostado do meu trabalho e por reconhecer-me como “uma pessoa normal”… rs!
      Espero que o meu blog seja muito útil para você e seus projetos.

      Responder

  33. Então cara. Não sabia que quando um post é copiado de outro site/blog, mesmo citando a fonte, eu estaria prejudicando a mim mesmo e ao autor original.
    É o seguinte, eu tenho um blog que trata sobre games e tecnologia e eu lanço semanalmente um podcast e um artigo super interessante falando sobre um determinado assunto.
    Esses artigos, eu só lanço nos fins de semana, pois faço faculdade e não tenho tempo durante a semana para elaborar um artigo.
    Durante a semana eu deixo um amigo meu pra lançar notícias diárias sobre games/tecnologia só pra o blog não ficar sem atualização e ele geralmente pega de outro site/blog, mas sempre citando a fonte no final.
    Gostaria de saber, como eu posso ajudar ambos os lados (meu blog e o blog do autor original) nesse assunto? Sem que o meu blog, e o blog do autor original sejam penalizados?
    Ótimo artigo, agradeço desde já! =)

    Responder

    • Marcos,
      o certo é nunca copiar nada do outro.
      Se gostou de algo e quer indicar para o seu público, escreva um artigo indicando o link para as pessoas irem até o autor original.

      Responder

      • Então cara, entendi o que você disse. Mas o que o meu amigo posta no blog durante a semana, não são exatamente “artigos”. São mais pra notícias diárias mesmo.
        Por exemplo: O G1 (Globo.com) lança uma notícia avisando que em “tal” dia haverá o inicio da Campus Party, ou que o GeForce acaba de lançar mais uma placa gráfica, ou até mesmo o lançamento de um jogo novo.
        Entendeu?
        Ele coloca no blog durante a semana notícias diárias sobre games e tecnologias e não artigos. E mesmo sendo notícias, ainda cita a fonte.
        Você que mesmo nessas condições há problemas?

        Obrigado pela resposta e pela dica! =)

        Responder

        • Chamar de “artigos” ou “notícias” ou “posts” dá na mesma. Estamos falando de conteúdo para sites e blogs. Copiar e duplicar conteúdo é errado sempre, mesmo citando a fonte. A não ser que o autor original lhe dê permissão para copiar.

          Responder

  34. Marcos, li todos os comentários e ainda fiquei com uma dúvida. vc disse que mesmo citando a fonte de determinado artigo é plágio. Gostaria de saber se ‘fonte’ se refere somente ao end. do blog/site ou também ao nome do autor. Tenho um blog com artigos de minha autoria – e também não gostaria de vê-los plagiados – mas não tenho nada contra se meus textos forem mantidos originais e com o meu nome nos créditos. E é isso que faço também. Sempre mantenho o nome dos autores nos créditos. Isso também é plágio? valeu, um grande abraço.

    Responder

    • Alexandre,
      Mesmo citando a fonte com o link e o nome do autor originais, é plágio.

      Mas se você é o autor e permite que seu conteúdo seja copiado e duplicado, então não tem problema, pois você deu autorização. Se você copia conteúdo de outros autores e eles lhe deram autorização, é a mesma coisa, não tem problema.

      O problema está nos casos, a maioria deles, em que o autor não permite ser copiado.

      Responder

      • Valeu Marcos pela dica. Vou reformular meu blog. Vou atrás de alguns autores e em outros casos, criar meu próprio artigo sobre determinados assuntos, como já comecei a fazer. Um abraço.

        Responder

  35. Parabéns Marcos pelo artigo. Sou iniciante e tenho meu primeiro blog desde maio deste ano, é um blog de gastronomia e eu estou investindo todo meu tempo livre inclusive finais de semana para criar um conteúdo decente, um conteúdo que soma horas de cozinha + horas de pesquisa e leitura + horas escrevendo, aí vem um fulaninho e usa de meu suor para enfeitar sua página. Isso deixa realmente revoltado.
    Eu tenho certeza que enquanto houverem artigos como o seu, a luta não estará perdida.

    Responder

  36. Pois é Marcos, o plágio é um caso sério.
    Certa vez, conversando com a juliana, ela me enviou um link onde o sujeito não apenas copiou o conteúdo, como também usou o mesmo template.
    O mais interessante é perceber que a maioria dos blogs plagiadores não dura muito, o próprio infeliz desiste da brincadeira de mau gosto.
    Enquanto isso, tem muito autor de qualidade que não quer ter o trabalho de manter e administrar um blog, mas quer ver seu conteúdo divulgado, então, fica super fácil para quem quer ter um blog com muito conteúdo de qualidade sem plagiar ninguém, basta abrir espaço aos autores sem blog.
    Tem também muitos sites, onde são disponibilizados textos para imprensa, que são feitos especialmente para serem copiados e publicados por terceiros, o que já seria uma ótima solução para quem não quer gerar o próprio conteúdo.
    Nos eventos onde você é convidado para palestrar, quantos destes plagiadores você já viu dando palestras? Já é um bom diferencial, não acha?
    ótimo texto, parabéns
    Um grande abraço

    Responder

  37. Sinceramente, me deu um desgosto e vontade até de parar de blogar depois desse seu artigo.
    Tudo bem que o plágio está aí e é preciso ou fazer vista grossa, ou desistir de tudo. Mas um site que serve para ajudar blogueiros incentivando o plágio aí é demais. Acho que se a pessoa é incapaz de criar o próprio conteúdo, ao menos com um pouco de personalidade nele, que não se arrisque nesse mundo. Um usuário acima disse que é um meio de compartilhar a informação, universalizando-a e ajudando o blog. Desculpem-me se estou a ter pensamentos arcaicos, mas roubar textos sem deixar a fonte é nocivo aos idiotas, como eu, que digitam textos, embora eu nunca tenha sofrido por isso e rapidamente produzo meus textos, direto de minha cabeça. A universalização da informação, sem se preocupar com autores, só seria justificável em casos de notícias, as quais sem opinião dos autores, apenas a falar dos fatos.
    E o pior foi a frase do autor que diz que se deve publicar sem ler. Hora, temos aí um blog impessoal e contraditório. Podes estar a defender o aborto hoje (sem nem saber) e amanhã afirmar, de pés juntos, que desde a infância era contra. A mentira cai por terra. Que eu nunca me esbarre nesse trabalho que tu faz, reciclando, e chamando de blog.

    É minha opinião.

    Responder

    • Flávio,

      Gostaria que você tivesse lido o artigo antes de vir comentar. Se tivesse lido o artigo todo não teria pensado que eu estava defendendo o plágio.

      Se tivesse lido com atenção, teria chegado à parte em que escrevi “O mais provável é que poucos cheguem a ler esse artigo até aqui e muitos estarão indignados com esse meu artigo sem ter percebido a ironia por trás de todas as palavras.”

      Você foi um dos muitos que nem chegou à metade do texto e já estava revoltado, sem perceber a ironia, o deboche e as contradições propositais no texto só para pegar pessoas desavisadas…

      Volte, leia o texto todo. Quem sabe assim você aprende algo interessante…

      Sou um profissional sério, contrário ao plágio e aquele é um artigo para mostrar como as pessoas estão despreparadas usando a internet. Não leem as coisas e se leem não entendem o que leram. Querem dar opinião sobre coisas que não entendem ou se informaram pouco.

      Volta e comenta outra vez, mas só depois de ler por inteiro… ok?

      Responder

      • Ok. Não li o texto todo.

        Sinceramente seria interessante usar mais sarcasmo num tipo de texto como esse (recomendo ler algum livro do José Saramago, sem querer se aprende com ele a ser sutil porém ao mesmo tempo explícito em irônias). Quando li o título do texto eu pensei sim que se tratava de um título ironico, mas após ler metade do texto, que me parecia estar realmente a ensinar plagiar, não tive nenhum interesse em continuar a leitura e vim protestar, coisa da qual não me arrependo.

        Ainda que toda a gente não acredite, estou mesmo muito feliz que o engano tenha sido meu, e que o conteúdo não apoie o plágio. Da próxima vez que eu vier a ler seu nome em um post, já estarei preparado para ler um texto inteiramente irônico, embora jamais iria prometer ler até o fim, se me desagrada páro de perder tempo.

        Boa sorte para nós que produzimos nosso conteúdo. E desculpem-me a fraqueza da carne, caso alguém tenha se sentido ofendido com o comentário acima, que, repito, não me arrependo nem um pouco de o ter feito.

        Responder

        • Flávio,

          Estranho é você vir recomendar-me mais leitura, quando você mesmo não foi capaz de ler o texto todo antes de escrever sua crítica. Já li praticamente TODOS os livros de Saramago. Estou formando em Letras e conheço profundamente de literatura. Mas nunca vou me comparar a grandes autores.

          Você leu a metade, sem a menor atenção e cuidado. O texto é todo truncado, contraditório e com críticas pesadas ao plágio já nas primeiras linhas. Faltou de sua parte, penso eu, um pouco de senso crítico e capacidade de interpretação de texto.
          Quando queremos protestar contra algo, temos de ter o mínimo de cuidado em conhecer o que o outro realmente pensa e defende. Você quis protestar sem saber o que o meu texto realmente continha.

          Se não quer “perder tempo” lendo um texto que supostamente lhe desagrada, então não deveria perder tempo em querer levantar críticas. Só criticamos o que conhecemos minimamente.

          O meu texto foi construído propositadamente para chamar a atenção, provocar a curiosidade e gerar debate, além de querer gerar muitas visitas por conta do inusitado. consegui meu objetivo.

          Responder

          • Ok, ok. Não tá mais aqui quem falou. Não vou mais discutir dentro da casa dos outros (um blog é uma casa), melhor eu ir asssistir mais filmes, para vir a produzir mais textos, do que ficar a brigar sem necessidade prática aqui.

            Mas definitivamente seu texto não tem contradições escandalosas, como tem sido dito que há; e tirando o final (que li e reli) realmente serve como tutorial ao plágio, e eu, na condição de novo leitor (foi um dos primeiros posts que li aqui), não poderia saber que o blog usa desse tipo de estratégia, textos inteiros dizendo o contrário do que há, para receber cliques, e textos não tem tom de voz, os quais permite diferenciar ironia e realidade.

            Se quiser excluir minhas palavras sinta-se livre, o blog é seu e eu não me importaria com isso, são só palavras soltas que afinal tentam detalhar o mundo e o tempo como se fosse possível; como dizia José Saramago, a quem não me comparo mas me inspirou a escrever.

            Boa sorte com sua faculdade, boa sorte com seu blog, boa sorte com seus títulos extravagantes e tenha a certeza de que essa é a ultima vez que volto nesse post para rebater comentários.

            Tenha uma ótima tarde.

            Responder

            • Flávio:

              Algumas contradições muito explícitas, ok?

              – 1a. linha do post: “Uma luta sem fim de blogueiros sérios é contra o plágio e roubo de seus conteúdos por terceiros.” – Se estou chamando de ROUBO, já está na cara que o que vier a seguir será contraditório ao que está no título…

              – 2o. parágrafo: “usar o esforço de outros e levar alguma vantagem também. A internet é um terra sem leis…” – Existem leis, inclusive para o plágio virtual, leis brasileiras e tratados internacionais…

              – Terceiro parágrafo: Cito um link de um post (Como enganar pessoas…), onde esse post é justamente uma pegadinha também…

              – 4o. parágrafo: “Não existe essa de direitos autorais ou de respeitar a propriedade intelectual de alguém. ” – Mais outro deslize sem sentido: as leis existem e se aplicam à internet… Essa é a frase mais “idiota” do post.

              – 5o. Parágrafo: Ensinando as pessoas a usarem o Google? Logo na 1a. dica já estou chamando os plagiadores de “burros”.

              – “Não perca tempo lendo”??? Eu sou o metablogger que mais escreve sobre a importância de saber ler e escrever, usar bem o português. Sou PROFESSOR de português…

              – No mesmo tópico: você clicou no link do suposto vídeo que ensina a ROUBAR conteúdo? http://youtu.be/LHzi5S9mgKA Assiste aí para ver se tem como ser mais explícita a pegadinha… PEGADINHA… olha só!

              Desculpa, Flávio, mas não tem desculpa para o seu deslize. Acho que você nem passou do título e dos subtítulos… e ainda quer justificar-se e colocar a culpa no meu modo de trabalhar. Eu poderia ficar citando linha por linha para mostrar que nem precisa ser bom em interpretação de textos. Leia os comentários e veja se alguém cometeu o mesmo “deslize” que você???

              Você tem o direito de opinar, mas não tem o direito de julgar o meu trabalho sem conhecer ou ao menos ler o que foi escrito.

              Responder

          • Pois é amigo Marcos! E tem gente que me critica por ser autodidata. Eu…um simples menino de rua, que saiu das ruas aos 20 anos de idade, sei ler e interpretar qualquer coisa que me deem para ler. É vergonhoso ver o que esta acontecendo com este pais. Do jeito que vamos, acabaremos sendo empregados do mundo! Ja deixei meu comentario e de novo o parabenizo pqlo excelente texto. Não entendo o que estão confundindo. Talvez seja melhor desenhar. AH!! Antes que me esqueça, chacoalhadas é um ótimo estimulo terapeutico viu gente? Vão estudar um pouquinho pelo amor de Deus e não me façam passar tanta vergonha! É o Pais do funck!

            Responder

  38. Este artigo foi excelente, pois algumas pessoas leram pela metade, e já saíram julgando pelos comentários, e nem si quer terminaram de rolar a página para ver o resto, e já foram comentando. Fora que deve ter vários que leram pela metade e nem se quer sabia do que se tratava o texto.

    Responder

  39. Marcos,com certeza uma postagem explicativa e até um desabafo para uma situação tão complexa.Porém, como toda nova forma de interação ,entre o conteúdo ,seja qual for,e o público; existe um bom tempo para que aja as adequações .Digo isso com exemplo os downloads de música ,que pode ser feito facilmente de maneira ilegal, mas ninguém fala que é imoral,cabe a indústria e aos empreendedores achar soluções.Quando se fala em plágio se fala em direitos autorais e eu me pergunto quando uma pessoa vende ou aluga ,um livro usado ou dvd(ou qualquer produto)ela estaria ferindo os direitos? Já que a pessoa não estaria comprando um novo ,beneficiando o autor.Mas se não houvesse de certa forma o “plágio” na internet as notícias não se espalhariam tão rápido ,e ficariam restritas aos grandes Portais.Esses que muitas vezes copiam um ao outro, só trocando uma palavras,pra deixar a notícia fresca.Sem falar naquele grande site de videos,e outros, deveria ser o primeiro a ser responsabilizado,e ainda lucram.Enquanto houver tecnologia e mídia que fomente a necessidade de obter e compartilhar conteúdo e informação, será assim.Já era assim no tempo da fita cassete e vhs.(Não plagie meu comentário todas as palavras me pertecem)

    Responder

  40. Eu já venho acompanhando a luta da Juliana e da Nospherat contra o plágio. Eu realmente acho melhor por um Link “dofollow” no rodapé dos feeds, com letra tamanho 14, negrito e vermelho, indicando o autor original. Uma coisa que tem aos montes é ferramentinha automática que apenas copia o feed, e assim nos protegemos ao menos um flanco.

    Abraços

    Responder

  41. Descupem o meu comentário e minha humilde opinão,mais terei que ser realista nem sei se o Sr marcos ira postar o meu comentário mais tudo bem,primeiro é muita ingenuidade pensar que denunciando um blog ou um post ou ir até site de hospedagem irão diminuir isso,vocês não vão acabar nem com 0,000,000,0000,000porcento disso,pode até fechar um blog,site ou sei lá o que no mesmo dia a pessoa abre outro,detalhe até pior copiando mais artigo e ainda se tornando mais experiente no assunto de copia e anonimato,mais como, a internet como disse o Sr marcos é uma terra sem lei nunca uma pessoa que cola um post irá pra cadeia muito mesmo ser localizada isso é o principio de tudo.Segundo milhões e milhões de paginas de site, blog e outros são publicado por dia só no Brasil.Terceiro vamos punir os que copiam esta bem então vamos começar pelos site e blogs de fofoca,que em segundos as matérias de todos sai identicas com pequenas mudanças,os camelos que vendes produtos na rua,os canais de TV que um copia Materia de outro,os blog do Brasil que copiam as matérias norte-americanas,e os principais dois caras que hoje estão bilionarios BILL GATES roubou o projeto do macintosh da apple e o sistema windowns, o primeiro sistema operacional com sistema de janelas controladas e STEVE JOBS que copiou da Xerox o mouse e a interface gráfica,há rsrsrsrsrsr eu já estava me esquecendo frases de STEVE JOBS: nada se cria tudo se copia,quer outra esta bem vamos PABLO PICASSO “Bons artistas copiam, grandes artistas roubam”.QUEM DUVIDAR DESTE COMENTARIO BASTA PESQUISAR NA NET.

    Responder

  42. Internet não é cartório!

    Acredito eu que você nunca estará livre de ser plagiado. A partir do momento que você tem um blog, bastante popular, um texto que você publica de 100 palavras se um plagiador copia e muda ao menos o inicio, já era!

    Mundo virtual.. todo mundo sabe que é assim!

    Esquentar a cabeça é perca de tempo.

    Responder

  43. Olá Marcos, ultimamente estou procurando me informa sobre vários assuntos relacionados a Blogs, o meu foco no momento é a melhoria em SEO, fiquei feliz em saber que o principal é conteúdo de qualidade e depois o SEO, então fiz certo, já produzia conteúdos em meu blog e só me faltava uma boa aparência e o SEO.

    Nesta busca sobre assuntos me deparei com vários outros pontos relacionados a Blogosfera, e o que mais vejo aqui no [ Ferramentas Blog ] é sobre o plagio, e concordo planamente sobre as punições sem aviso prévio, eu mesmo vou ter que lutar contra reprodução de um vídeo meu por muito tempo, já vai para segunda vez que vou fazer solicitação para Youtube retirar uma copia do ar.

    “Nada é mais educativo que a punição severa.”, olha se foi ironia é uma pena, pois concordo com isto, certas vezes umas boas “palmas” é de mais fácil assimilação do que uma conversa “educativa”.

    Uma coisa é certa, plagiadores/copiadores (copiadores eu considero aqueles que copiam sem pedir e colocam a fonte, mesmo este tipo eu não gosto), eles nunca vão ir para frente, pois quando os supostos leitores deste tipo de pessoas descobrem que a noticia é originaria de outra fonte, acabam por reconhecer que aquele outro era penas um lixo parasita.

    Acho que passou da hora de os blogueiros se juntarem contra isso de forma severa e não falando “isso é errado se fizer o Google pode te punir” e sim “Você FOI PUNIDO por te feito isto”.

    Enfim, vejo que neste artigos de plagio você fala de uma maneira, digamos que alterada, não sei se fora das palavras você fica visivelmente nervoso, se ficar, não compensa, o jeito é olhar e pensar em um jeito de acabar com isso de forma calma e bem efetiva.

    Fora isto muito boas as dicas, em dois dias li entorno de 80 artigos aqui e ainda pretendo ler 140.

    P.S: Eu ri do vídeo de como duplicar conteúdo kkkk

    Responder

  44. Olá Marcos, li este artigo com muito interesse, visto que tens tentado combater o plágio, e eu, queria evitá-lo também entrando um pouco na mente dos plagiadores, logo, se quiser evitar o plágio, porque não publicar de vez enquando informações “parcialmente erradas”, para quem for copiar o meu conteúdo acabar por “dar com o nariz na porta”.

    Achei que a tua linguagem relativamente a este tema foi totalmente correcta, porque os plagiadores e até os spammers são uma praga, o problema é que esta praga é impossível de exterminar.

    Cumprimentos de Portugal

    Responder

  45. Olá Marcos

    Só para constar, tem uma página de 2 amigas blogueiras no Facebook chamada “Cópia Ilegal Não é Legal” na qual as pessoas podem denunciar plagiadores e obter informação e ajuda para as denúncias. Fica a dica.

    O plagiador é um parasita temporário, ele logo cansa pois não vê seu blog deslanchar e nem consegue monetizá-lo, portanto, após alguns meses o abandona (isso quando não tem o blog excluído por completo). Mas incomoda e a proliferação dessa praga é constante.

    Abraço
    Sandra Reis

    Responder

  46. Bem, gostei do texto. ri muito.
    Confesso que quando iniciei na Blogosfera, usava meu blog para colocar coisas que havia gostado.Usava-o como uma espécie de Facebook, acho. MAs gosto de escrever e falar sobre coisas diversas. Não me prendi em um nicho específico, mas circulo bem por aqui.
    Conheci o Ferramentas tempos atrás e desde então tenho visto artigos maravilhosos.
    Evito hoje usar artigos alheios e quando uso hoje informo o dono, afinal ele tem o direito de solicitar que eu retire seu material de meu blog. Mas hoje, quando cito um blog, o faço de forma séria, pois estou relacionando o material deste em algo que escrevi.
    Só que a experiência mais forte que tive com o CTRL C e CTRL V aconteceu este final de semana.
    Recebi através de um amigo um recado dizendo que o Cassio Scapin morrera. Antes de faalr algo sobre este artista, resolvi procurar na Internet e fiquei aturdida, realmente pasma. Todos os sites que achei no Google usavam exatamente o mesmo texto para desmintir o caso.
    Fiquei feliz por descobrir que era mais um viral besta da Internet e não mais uma baixa no Teatro Brasieliro, mas ‘choquei’ com a total falta de originalidade quanto ao caso.
    Como disse antes, a princícpio, por desconhecer certos direitos e por realmente acreditar que os conteúdos da Internet era de uso livre, já dupliquei muito material, mas ao tornar-me consciente de meu crime, apaguei muito do que já tinha postado e tenho colocado sempre algo que tem a ver comigo.
    Confesso que com a minha opção por usar material meu apenas, vi diminuir de forma considerável os comentários, mas não me abalo.
    Gostei deste texto, de toda a ironia usada na cosntrução dele e estou compartilhando.
    Abraços
    Elisabeth Lorena Alves

    Responder

  47. Meninoooo!!!! Para de bater assim nos incompetentes tadinhossss!!rsrsrsr
    Concordo plenamente Marcos. Tem que se respeitar o trabalho dos outros. Depois é tão facil pedir autorização para postar algo de que gostamos. Não sei de um blogueiro ainda que negou permissão. No meu caso, a coisa se complica um pouco por se tratar de um nicho onde tudo é muito exato, então se divulgo por exemplo a história do Dr. Bach, criador dos florais, milhões de blogs/sites, pelo mundo ja contam esta história. Mas tenho de repeti-la pois, estou introduzindo muitas pessoas, em algo que não conhecem e elas precisam saber a origem. Quando falo de Psicanalise, dificilmente não estarei plagiando Freud. Quando vc orienta sobre procedimentos no blog, dificilmente não estara plagiando a google, embora com suas próprias palavras. Existe algum padre ou pastor que não esteja plagiando Cristo? Que não esteja plagiando a Biblia. E aqui meu amigo, cabe uma pergunta? Plagio até onde??? De qual ponto uma postagem pode ser considerada um plagio???
    Tenho me preocupado muito com isso e as vezes apanho horrores para transformar dicas de saude em uma maneira que a postagem não seja considerada um plagio. Como posso indicar uma orientação fitoterapeutica, sem que ela pareça um plagio, ja que todas indicações são iguais??
    Valeu muito pela reflexão amigo Marcos e aguardo sua respota.
    Abraços!

    Responder

  48. Ufa… Sempre leio seus artigos e quase não estava acreditando no que estava lendo. Seria uma decepção se soubesse que você defende os plagiadores. Mas enfim, o susto passou e que bom que você também é contra.

    Responder

  49. olá. conhecí seu blog hoje porque estava procurando algo que falace sobre blogs e sobre adsense, parabéns pelo seu trabalho já lí um montão de posts. Sou blogueira há uns 5 anos por hobby, já tive uns blogs que excluí e outros tento manter mas dá uma preguiça de postar, agora estou com um novo projeto de blog e e com mais 3 blogs ativos. Sempre usei adsense mas nunca consegui juntar mais que 2 doláres. rsrsrs parece piada mas é verdade, por isso estou pesquisando como melhorar isso daí já que agora estou desempregada. Bom nunca me importei com plágio, mas sempre coloco a fonte das imagens que pego na net. dá problema se vc plagiar mas no final da página vc colocar a fonte do original? abraço já sou fã IZA 😀

    Responder

    • Izabela,

      Dá problema, sim.
      Plagiar, mesmo citando a fonte é crime e é errado. Não tem desculpa. O certo é usar imagens que são livres de autores que permitem seu uso. Fora isso, é plágio e não tem desculpa.

      Responder

  50. Olá. Boa matéria. Mas citando a fonte não é crime, desde que não haja proibições de cópia parcial ou integral do texto, matéria.

    Plágio é quando se copia parcial ou integralmente alguma obra, texto. As frases de outros autores devem estar entre parenteses ou com indicação de fonte do trecho, geralmente se coloca entre [ ].

    Por outro lado, não acho que plágio seja ruim, se a obra tem cunho informativo. Por exemplo, fiz um trabalho Direito do Consumidor Aplicado nas Autoescola. Para minha surpresa foi copiado pelo Procon-RJ, e não citaram a fonte. Como é utilidade pública, e gostei, apenas coloquei em meu trabalho “até aqui o Proocn-RJ copiou (…)”. Com isso dá credibilidade ao que faço.

    Responder

    • Sérgio,

      Se o autor permite a cópia, então não tem problema e não é plágio.

      A questão aqui é quando não é permitida a cópia. Mesmo citando a fonte ou copiando apenas pequenos trechos, é CRIME. Não tem desculpa. Quer copiar ou algo, tem que pedir permissão e avisar o autor original antes de fazer.

      Pequenas citações de frases e poucas palavras, não tem problema, desde que indicando o link original para as pessoas lerem o conteúdo na íntegra e no local onde o autor publicou.
      Mas copiar trechos, mesmo citando a fonte, sem avisar o autor, é falta de caráter.

      Responder

      • Sim Marcos. Mas, por isso, é preciso colocar no blog ou site que a cópia, parcial ou não, não é permitida. Há vários mecanismos para isso. Simples script avisando quando leitor copiar ou ao final da matéria.

        Como eu disse, anteriormente: mas citando a fonte não é crime, desde que não haja proibições de cópia parcial ou integral do texto, matéria.

        Seja cópia parcial ou integral há necessidade de citar fonte sob consequência de processo penal e civil. Algumas pessoas pensam que só é crime a cópia total, não.

        Tem programas e sites especializados em analisar possíveis plágios:

        – Farejador de plágio (programa)
        – Plagium (site)
        – Copyspace (site)
        – AntiPlagiarist – ACNP Software
        – eTBLAST
        – Plagiarism Detect

        Desde já a todos os leitores e autor Feliz Ano Novo!

        Responder

  51. Caro Marcos Lemos,

    Concordo plenamente que a criação de um Blog significa, antes de mais nada, produzir material inédito e de qualidade. Um Blog que vive apenas da cópia de conteúdo alheio não agrega valor algum (para utilizar um velho conceito de nós economistas).

    Mas, como todos sabemos, para bem escrever é necessário ler muito (quantidade) e ler bem (qualidade). E, em tais leituras, por vezes nos deparamos com textos brilhantes, daqueles que dá até uma pontinha de inveja por não sermos nós os verdadeiros autores.

    Quando me deparo com um texto desses, sou impelido a indicá-lo no meu Blog, para que outras pessoas tenham o privilégio de lê-lo, tal como eu li.

    Além do aspecto qualitativo, não posso negar que o aspecto quantitativo também conta. Um Blog sem novidades acaba sofrendo de inanição. E só quem produz sabe como é difícil produzir textos de qualidade em abundância.

    Dito tudo isso, gostaria de formular as seguintes perguntas:

    1) Você considera plágio a divulgação de um artigo, com apenas e tão somente o link para o texto original (o título com o link, por exemplo), mesmo sem a permissão do seu autor?

    2) E a postagem do título do artigo, acrescido de um lead (primeira parte de uma notícia), seguido do link para o texto original na íntegra?

    3) Caso o autor do artigo concorde com a cópia, você deve citar isso textualmente? Aonde? Antes do artigo, depois do artigo?

    Desde já agradeço. E antes que você puxe a minha orelha, aviso que estou fazendo uma limpa no meu Blog, para evitar maiores problemas.

    Atenciosamente,

    Flávio Girão Guimarães
    ABC do Dinheiro

    Responder

    • Flávio,

      1. Citar nunca é problema e é a forma certa de se fazer as coisas na Internet. Gostamos de algo e indicamos, citando o link para outras pessoas lerem o original no lugar original.

      2. Usar algumas poucas linhas para ilustrar o que estamos apresentando, indicar o conteúdo, citar a fonte e o link é também certo. Algo como fazemos nos trabalhos da faculdade, por exemplo. Mas nunca copiando a íntegra o quantidade significativa que tire o interesse das pessoas de continuarem lendo o original no lugar original.

      3. Se o autor concorde com a cópia, o ideal é dar os créditos logo no topo, explicar que aquilo é uma cópia e indicar o link, dizendo que tem permissão.

      Responder

  52. Cara respeito o direito de qualquer pessoa falar ou escrever qualquer coisa, mas seu artigo é digno de pena, quando um professor diz: “Não perca tempo lendo” e “Como enganar pessoas…” acho que é o fim do mundo!

    Quem trabalha com SEO e acho que você deve conhecer um pouco sobre a algoritmo do google e como ele trata o que chama conteúdo original e sua influencia na classificação dos sites.

    Juro que li seu post esperando no final alguma conclusão que contrariasse tudo que vc disse, ledo engano.

    Mas fazer o que A luta por legalidade na internet é uma luta perdida, só me retiro de fininho.

    Responder

    • Othon

      É uma pena que você não tenha lido o artigo, como diz que leu. Sua ignorância aflora no comentário.
      Todo o artigo é contraditório, sarcástico e fica claro para um leitor minimamente atento, que estou fazendo uma crítica e ensinando que não devemos plagiar, NUNCA.

      Como professor de português, acabo de ver comprovado com você que, a maioria das pessoas sabe ler, mas não é capaz de interpretar o que leu.

      Responder

  53. Em primeiro momento achei que fosse verdade o que estava dizendo e fiquei indiginada., mas ao ler até o fim o artigo, concordo plenamente com o que diz.. quem trabalha com direitos autorais como eu sabe como é difícil e trabalhoso, ver autor que tem boa índole, plagiando material que seria inédito e ganhando por isso.. Ótimo artigo que vale a pena perder 5 mim lendo.
    A unica coisa que sou a favor, é as pessoas deixarem suas obras em domínio publico, sou a favor do conhecimento, mas ssou contra quem ganha dinheiro através dele. Certa vez fui licenciar um poema do Mario Quintana, cobraram um valor de R$ 1,400 para colocar num material didático. Por isso sempre digo, deixem suas obras em dominio publico e se for copiar, pelo menos de os merecidos créditos de quem á realizou.

    Responder

  54. Pingback: Plágio na internet: como podemos acabar com isso? - Sucesso Blog

  55. Olá Marcos Lemos. Excelente artigo, fantástico a sua forma de ironizar sobre pessoas preguiçosas que querem ganhar dinheiro no mole usando o conteúdo de outros blogueiros como plagiadores, você tem toda razão, concordo que estes caras deveriam ser multados e presos mesmos, isso é crime, não se diz tanto que pirataria de cd, e tantas outras coisas mais não é crime, porque plagiar conteúdo não é crime também?

    Muito legal a forma da sua escrita principalmente na sua ironia, cara quando eu li o seu artigo deu pra sentir a sua raiva sobre os plagiadores em cada palavra que você escreveu.
    Um grande abraço e sucesso.

    Responder

  56. Pingback: Inspire-se escutando #1 - "The Voice" - Sucesso Blog

  57. Caro Marcos
    Li todo o seu artigo. Concordo plenamente como o que você diz. Mas gostaria de sua opinião para o que segue abaixo:
    Estou tentando iniciar um projeto de Afiliados com o HostMaster.
    Sei pelos próprios vídeos que você publicou que um bom caminho é se valer dos blogs.
    O meu nicho será empreendedorismo nas pequenas empresas.
    Impossível criar conteúdo próprio sobre o assunto para alimentar este blog com MUITOS artigos, vídeos, etc.
    A internet está cheia de material sobre o assunto. Materiais de ótima qualidade. Não estou falando de material publicado em BOGS. Artigos de outros sites.
    Se eu replicar o material e no rodapé informar a fonte ou mesmo o autor do artigo, ainda assim é considerador cópia? Roubo?

    Estou também pensando em dar um início no assunto e no “Continue lendo” aponto o link direto para o local onde o artigo foi publicado. Isso sempre que possível.

    Seu artigo me preocupou. Assim meu projeto de afiliados irá por água abaixo.

    O que você acha sobre estes dois pensamentos?

    Responder

    • Marinho,

      Sempre é possível criar conteúdo próprio, mesmo que outros já tenham feito de tudo. Mas ninguém fez como você pode fazer, com a sua visão e sua forma de apresentar o conteúdo.
      Você só pode replicar outros conteúdos se o autor original permitir isso. Então é bom entrar em contato, pedir permissão e saber como proceder. Há autores que permitem cópia integral, mas há aqueles que nunca vão permitir isso, só citações.

      O melhor é trabalhar para produzir conteúdo original e único, pois mesmo com permissão, o Google não gosta de conteúdo duplicado. Se o Google não gosta, significa que você não vai ter visitas se copiar conteúdos.

      Responder

  58. Olá, Marcos. Primeiramente, parabéns pelo blog e pelo artigo.

    Possuo um blog no wordpress.com, e estou me preparando para colocar ele de volta à ativa em breve, inclusive migrando pro wordpress.org, com hospedagem paga e registro de domínio. No entanto, percebi que os domínios .com e .com.br do meu título já foram registrados por terceiros (aparentemente por duas pessoas diferentes), e fiquei a ver navios, um tanto triste, na verdade.

    As minhas dúvidas são:

    1 – O registro do domínio por terceiros me tira o direito de “requisitar” como meu o título do blog? No caso, meu blog é anterior aos outros dois domínios. Em outras palavras, preciso procurar outro nome? Ou há alguma forma de comprovar que meu blog foi o primeiro e poder reaver o direito de comprar os domínios?

    2 – Também criei uma logo para o blog, e quero mantê-la. Existe algum procedimento necessário para proteger a logo? Ou também corro o risco de perdê-la?

    3 – Em caso de troca de nome, é permitida a utilização de um nome “próximo” ao de um blog já conhecido e estabelecido no mercado? Exemplo: existe o “Garotas Estúpidas”, poderia haver o “Garotas Ignorantes” ou ainda “Meninas Estúpidas” (não é meu caso, é apenas um exemplo)?

    Ficaria eternamente grato se você pudesse me responder essas perguntas, obrigado.

    Responder

    • Américo,
      Esse é um problema bem comum entre blogueiros. Hoje é quase impossível pensar em um nome de Blog que ninguém tenha registrado.

      1. Não há o que fazer se alguém já registrou o domínio que você queria, mesmo que seja uma marca ou patente. O registro de domínio é público e qualquer pessoa pode fazer. O que você pode tentar é negociar e comprar o domínio de quem já o registrou antes de você.
      Até grandes marcas tiveram que negociar domínios registrados por outros.

      2. Logo e identidades visuais são protegidas por direitos de marca e autorais. Se é sua e você tem como provar de que criou (ou pagou p/ alguém criar), então ninguém mais pode usar.

      3. Nada impede que você use nomes semelhantes, já que o registro de domínio é livre e público.

      Responder

Deixe um comentário

Ao comentar você concorda com nossa Política de Comentários.