O futuro dos Blogs e os Analfabetos funcionais

Siga o Ferramentas Blog: Canal no Youtube | Facebook | Twitter | Google+
Acesse AGORA: https://blogueiro.pro e se torne um Blogueiro de Elite.

analfabeto-blog Alguns já perguntaram qual o futuro da internet e dos blogs em função do surgimento de redes-sociais e micro-blogs como o Twitter, que agilizam a troca de informação – hoje todos estamos muito conectados e a TV perdeu o status de “grande mídia”. Minha preocupação não é com o futuro da internet ou se as pessoas vão deixar de visitar blogs. O que me deixa alarmado é que as pessoas não sabem ler: estamos criando uma geração de analfabetos funcionais – pessoas que sabem identificar as letras, sílabas e palavras, mas não entendem um texto.

Só há uma maneira de ilustrar o que estou dizendo, usando de um texto. Recebi um comentário em um tutorial desse blog. Segue a imagem dos dois primeiros parágrafos e o comentário que não aprovei por motivos óbvios (mas se você não achar óbvio, então leia nossa Política para Comentários).

salsa03

Não vou comentar o erro de português. O que me deixa intrigado é o fato desse visitante não ter lido nem as primeiras linhas do artigo, rolou toda a página até o formulário de comentários, escreveu, enviou e fechou a página sem ao menos fazer o menor esforço de tentar ler e entender o texto. Preguiça? Pode ser…

Já escrevi sobre isso em outro artigo e comentei o seguinte:

As pessoas lêem pouco e, quando lêem não são capazes de compreender o todo e absorver a informação. (…) Pense quando foi a última vez que você parou mais de 1 hora pra ler um bom livro? Quantos artigos e textos de blogs você abriu hoje e leu por completo o texto, do início ao fim? Acontece que não conseguimos nos concentrar numa única coisa por muito tempo.

Como uma dessas coincidências da vida virtual, no mesmo dia outros dois blogs publicaram artigos semelhantes, tratando sobre o mesmo problema: como as pessoas lêem pouco:

Um trecho do artigo da Bia:

“Comida, tem que ser fast food. Relacionamentos amorosos, tem que ser ficar. Ler um livro para fazer um trabalho é absurdo: resumos são passados de mão em mão. Ou melhor, de caixa de entrada em caixa de entrada…”

Agora, um vídeo para ilustrar melhor ainda o assunto. Sim, os vídeos são a solução para muita gente que não quer perder tempo lendo nada, pois é mais fácil de entender e já vem digerido:

Aqui no [ Ferramentas Blog ] resolvi tratar alguns assuntos por vídeos e percebi que têm mais audiência que meus melhores artigos em forma de texto (veja no Youtube o número de visitas de cada vídeo). Mesmo que os vídeos tomem mais tempo para assistir que um artigo para ler, preferem muitas vezes. Mas a grande questão é que é impossível ter informação sem leitura eficiente e crítica.

Para quem mantém blog ou quer fazer um trabalho de escola, e até mesmo para as pequenas coisas do dia-a-dia saber interpretar um texto é fundamental. Essa é uma capacidade que precisa ser adquirida com muita prática. Se quer escrever 1.000 palavras, então leia 10.000, dizia um velho professor que tive.

Aí me deparei com um artigo mais contundente, que chega a desanimar nós que escrevemos em blogs. São dados de uma pesquisa que provam o quanto estamos lendo cada vez menos e cada vez pior:

  • Usuários da web desaprenderam a ler (o link saiu do ar e não sei o que houve)

Será que você consegue ler até o final?

Vou contar uma história sobre nossa dificuldade para ler. O Padre Wolfgang Gruen, biblista, contou certa vez numa aula que ministrava sobre leitura interpretativa da bíblia, que foi convidado para coordenar um grupo que iria traduzir uma bíblia para uma linguagem popular. Fizeram uma pesquisa e descobriram que um homem médio no interior do Minas Gerais, com não mais que 6 anos de estudo, tem um vocabulário prático (um vocabulário que usa constantemente) de pouco mais de 3.000 palavras.

Com essa mesma pesquisa, descobriram que um jovens/adolescente de uma capital, em período de vestibular, tem um vocabulário prático de não mais que 1.200 palavras. Isso fez sobrar uma pergunta: como escrever uma bíblia com uma linguagem acessível para esses dois públicos tão diferentes? Desistiram do projeto. (A história é verídica)

Estamos num período em que nossa geração e as novas, estão ficando cada vez mais analfabetas e ignorantes. Têm acesso, mas não conseguem usar o que têm. É como abrir uma porta, mas não entrar. A única forma de se ter conhecimento é lendo, lendo muito e debatendo o que se lê; o que torna impossível querer apenas absorver informações “scaneando” telas de sites com os olhos, achando que vamos ficar mais sabidos por algum tipo de osmose virtual. Não dá pra fazer download direto pra cabeça.

Então, repito, o que me deixa preocupado não é se os blogs terão futuro e sim se teremos nós um futuro. Temos o mundo às nossas mãos e podemos chegar a todos os cantos com nossa banda larga, mas isso é só ilusão/virtual. É uma pena que poucos lerão esse texto, ao menos até o final.

Já pensou em ser um(a) Blogueiro(a) mais Profissional?

Está cansado(a) de ser um blogueiro mediano(a) e que não tem resultados com seu Blog, não ganha dinheiro e não recebe as visitas que gostaria?

Você chegou aqui procurando como aprofundar seus conhecimentos em Blog, como Ganhar Dinheiro com seu Blog, aplicar as melhores técnicas de SEO, divulgar seu Blog e fidelizar seu público alvo. E posso te ajudar com essas coisas e muito mais, elevando o nível de qualidade do seu projeto.

Desenvolvi um curso completo, totalmente online, cobrindo tudo o que é necessário para um Blog atingir seu potencial máximo, detalhe por detalhe, que vão te tornar um Blogueiro de Elite:
  • Técnicas de produção de conteúdo
  • Fidelização do Público alvo
  • Divulgação e Técnicas de SEO
  • Métodos e técnicas de Monetização
Acesse AGORA: https://blogueiro.pro e se torne um Blogueiro de Elite.

Esta é sua chance de ser mais profissional e ter um blog eficiente, completo e que pode ser sua fonte de renda permanente. Sou Blogueiro desde 2007 e condensei todo este conhecimento dentro do curso Blogueiro de Elite para entregar a você.

43 Comentários

  1. Mas tem que saber ler? sauhauha, brincadeira!

    O fator que eu creio que mais influencie nisso, seja a falta de foco em apena suma atividade, do modo como vc disse, eu por exemplo, dificilmente leio textos inteiros na Web, passo direto por muitos Posts no GReader, leio apenas aqueles que tem títulos chamativos (fator que tem que ser ressaltado, a importância do Título e subtítulo!. Muitas pessoas assim como eu, estão ouvindo música, utilizando o Twitter, MSN, orkut Facebook, lendo outras coisas, ou seja, n dá para se concentrar deste modo, e eu tõ aprendendo isto do pior modo!


    AndersonZ1

    Responder

  2. Sobre o que é seu texto mesmo? Brincadeira, Marcos. Sua preocupação é pertinente. Vou citar um caso simples ocorrido em sala de aula comigo:
    Sete e meia da manhã, uma aluna vem andando apressada atrás de mim. Me para no corredor e diz que está cheia de dúvidas em algumas questões de uma simulado que apliquei para prepará-los pro ENEM. Disse a ela que responderia a todas na classe, pois mais alguém poderia ter tido as mesmas dúvidas. Onze horas entrei na sala dessa aluna. Eu, todo orgulhoso por ver que meus alunos procuraram minha ajuda e que veem em mim a solução, nem coloquei meu material sobre a mesa e disse "vamos ver quais as dúvidas no simulado". A aluna levanta a mão e dispara. "Professor, o que é linguagem conotativa?". Meu chão sumiu momentaneamente, mas respondi. Então questionei sobre as dúvidas que ela dissera ter no início do período. Ela vira pra mim e diz que era aquilo. Caceta, a lazarenta não tinha um dicionário pra consultar o que era "linguagem conotativa". Num terceiro ano, uma aluna me faz uma pergunta de vocabulário sendo que é um assunto da sétima série? Marcos, se já estamos assustados com o que temos visto, nem imagina o que vem por aí.

    Responder

  3. Estamos num período em que nossa geração e as novas, estão ficando cada vez mais analfabetas e ignorantes. Têm acesso, mas não conseguem usar o que têm. É como abrir uma porta… Concordo com você, está acontecendo não somente no mundo virtual, no meiu trabalho mesmo, tenho um companheiro que trabalha comigo, ele não consegue ler e interpretar o que está vendo, tendo mostrar para ele mas seus olhos estão travados ou qualquer coisa do tipo, está ficando difícil muito…
    Parabéns excelente artigo, vamos ver se todos vão ler até as últimas linhas…
    [In]Commun

    Responder

  4. Marcos.

    REalmente, a coisa é séria. Pesquiso na área da educação, e vejo isso sobre dois ângulos. Por um lado, a tradição da oralidade, o ler e o contar, que é uma tradição do séciulo XIX, acabou sendo deixada para um segundo plano, por essa cultura do visual no final do século XIX, e audiovisual nos meados do século XX.

    A nossa maior dificuldade, dentro de ensinar história é reatar esses valores mais tradicionais com essa cultura do audiovisual. Na verdade, ot trafego intenso de informações faz com que realmente haja essa necessidade de velocidade.

    O maior problema é que tem pesoas que se adaptam a essa nova leitura, mas a maioria não. Até porque, exige muita bagagem cultural, que não é transmitida por essa experiencia audiovisual. É transmitida por essa linha tradicional, narrativa e literária.

    Uma imagem fala mais que mil palavras, mas somente se estiver acompanhada de mil palavras.

    Mas não desanima não. Os vídeos adaptam a esa nova necessidade, mas uma hora ou outr o indivíduo acaba se encorajando a ler.

    Outro problema é a elitização do conhecimento, mas esse papo é mais tenso, e fica pra próxima.

    Abraços.

    Shisuii

    Responder

  5. Pegou no ponto fraco… (Ou seria forte?) Infelizmente a maioria da garotada de hoje serão os monosilábicos de amanhã. Porque os adultos de hoje já vivem no mundo do internetês já faz tempo.

    Tem horas que não sei se choro de tristeza ou de tanto rir. Agora eu parei de moderar os comentários dos meus blogs, mas antes… Melhor nem comentar.

    Excelente post! Parabéns!

    Responder

  6. É verdade, eu vejo isso também. Muitos blogueiros não aprendem a ler de forma interpretativa, ou as vezes nem lêem.

    Acredito que esse problema vém de educação mesmo! Errar é humano. Trocar um 'g' por um 'j' é uma coisa que não devemos levar tanto em consideração. Claro que devemos se preocupar em escrever correto, todavia o erro das ideias é o pior de todos. Você falar 'A' e a pessoa entender 'B' é complicadíssimo!

    Ótimo post!

    Responder

  7. Você falou tudo o que eu penso todos os dias. Está cada dia pior. As pessoas estão fazendo perguntas desnecessárias só porque não sabem ler e interpretar um texto banal. Na minha família eu estou cercado de gente assim. Jovens com nível "superior" e que escrevem errado, não lêem livros, e querem tudo já mastigado e nem sequer questionam aquilo que recebem. Eu não agüento mais servir de filtro pra esses caras.

    Responder

  8. Como dizem os titãs '' a televisão me deixou butto muito burro demais''
    E eu diria que '' a internet me deixou burro muito burro demais''

    Responder

  9. Embora o nível de acúmulo de informação acessível e diversificada tenha crescimento assombroso e contínuo todos os dias… a evidência de que essa informação não está sendo acessada de forma legítima e prudente é algo que me assusta.
    Trabalho com jovens há 3 anos e, frequentemente encontro-me em situações embaraçosas onde tenho que adaptar-me à escassez de conhecimento e falta de interesse em aprender…
    Minha queixa não é necessariamente a falta de conhecimento e estrutura crítica formada, compreendo que isso, por muitas vezes, é natural devido à falta de oportunidade que muitos jovens têm. A minha intolerância refere-se às pessoas que possuem acesso – como você mesmo citou – mas negligenciam a tudo com ignorância e desânimo.

    Protesto!

    Responder

  10. Até então, só tinha me atraído por informações funcionais em relação ao meu blog, aqui, no Ferramentas Blog. Fiquei contente de saber, também, que o mesmo participa de alguns pontos de discussões relativas à sociedade e os problemas educacionais, como é o caso desta postagem. A minha opinião exercida em prol deste tema é comum a maioria dos recentes comentários: Fomos ensinados a sermos aptos a uma leitura mecanisada, como num modo automático. Os métodos de livros didáticos, ho^je, não exploram a capacidade individual do educando. Claro, sem falar de nossa fama intolerável de não-leitores assumidos. Enfim, existe uma série de pré-consequências que colaboram pra o resultado expresso frequentemente em nossos próprios blogs. É isso.
    Desculpa a falta de resumo. Fiquei, realmente, empolgado com esse assunto que abrangeu, não apenas o meio blogosférico, mas o meio da educação brasileira. Poste mais artigos relacionados a realidade. Sem se desprender da proposta exercida pelo blog: Ferramentas para o blog. Abraços !

    Responder

  11. É de se chatear mesmo. Até por que eu faço parte dessa geração de jovens de agora.

    Muita gente deixa de aproveitar os recursos que se tem, tanto na leitura, educação e a na internet, a acaba se tornando gente ingnorante e fácil de se enganar.

    Todo o mundo quer algo fácil hoje em dia, e não se esforça em procurar resolver os problemas por si só, ou até ler um livro para escrever um resumo valendo nota de trabalho para a escola.

    Eu penso que a internet pode ser algo produtivo ou uma ferramenta para emburecer ainda mais o ser humano, dependendo do modo que ele for usado e da pessoa que usa, assim com os outros veiculos de comunicação.

    Eu realmente fico triste por que a grande maioria dos adolescentes de hoje não aproveitam os recursos que temos, e na época de muitos adultos de hoje não tinham.

    Responder

  12. Bem, Marcos…

    A taxa de rejeição do meu blog subiu muito de uns tempos pra cá. Notei que foi em artigos cujo texto são bem grandes. A pessoa tem preguiça mesmo! Deixa pra depois e não volta!

    Eu também não estou preocupado com o futuro dos blogs, mas sim com essa geração que acaba de nascer. Somos o país do futuro ou não?

    Há tantos blogs por aí com erros de português e com artigos que não dizem nada. Se fosse somente o erro da gramática tudo bem, mas tem que escrever algo que seja interessante.

    Ouvi dizer outro dia que "a comunicação acontece quando a outra pessoa entende o que foi dito independente de erros". Concordo com isso, mas não seria melhor e mais confiável a mensagem ser passada corretamente?

    É triste a situação.

    Marco Damaceno

    Responder

  13. Saudações Marcos, seriam: analfabetos ou analfabytes? rsrs… -brincadeiras à parte; concordo parcialmente contigo ou até plenamente em trechos do seu artigo. O futuro dos blog's está assegurado graças há alguns "ainda" leitores de fato e de direito, reconhecem um bom blog, um bom conteúdo e não abrem mão de dá uma passadinha pelo blog preferido, de preferência, matinalmente.

    A questão é que esta preocupação ansiosa de que os blog's poderão se extinguir por falta de leitores "funcionais" e/ou formadores de opinião, para mim, não preocupa tanto assim até por quê as ferramentas vão se adequando as necessidades do usuários, a convergência das mídias é essencial e indubitavelmente necessária.

    Fato esse que se "linkarmos" o presente à um futuro próximo de apenas 5 anos, teremos ai um enorme espaço amostral para a TI se desenvolver ao ponto de que, nós, simples leitores, pesquisadores e admiradores do meio "digital" possamos estar em constante metamorfose de nossas opinião; não por quê não há temos, mas sim, por que precisamos ser flexíveis e humanos; precisamos entender de que a internet, a grande rede é formada por computadores, mas sempre do outro lado existe um ser humano iguais a nós, sujeito à todas as intempéries que o meio virtual costuma impor, afinal, tudo que é novo gera um pouco de rejeição.

    Felicidade, amigo continue com seu excelente trabalho, o abraço vai de longe, Natal/RN.

    William Douglas
    pubwebtv.blogspot.com

    Responder

  14. Uma geração de cegos lendo em Braile (de luvas)… nada faz sentido. Me entristece ver a ansiedade e a angustia geradas pela enxurrada de informação… O resultado é esse, superficialidade e ignorância. Uma pena.

    Ótima abordagem Marcos, parabéns e obrigada.

    Responder

  15. Olá Marcos,
    Tenho que confessar que desaprendi a escrever corretamente após meus 19 anos. Recordo-me que na adolescência eu "devorava" livros quase que diariamente e esse hábito me ajudava a escrever quase tudo sem muita dificuldade, mas depois da internet e os compromissos profissionais, reduzi drasticamente a leitura de livros e hoje tenho dificuldade com a grafia correta de algumas palavras.

    Quando escrevo um post para meu blog ou um comentário como esse, leio diversas vezes e na dúvida escrevo a palavra no Word para ter certeza de como se escreve. Ainda bem que escrever corretamente há várias soluções simples e rápidas, mas o analfabetismo funcional… esse é extremamente complicado. Conheço pessoas que não dá pra acreditar que conseguiram se formar no Ensino Médio. Alunos completamente analfabetos funcionais e assassinam nossa Lingua Portuguesa dessa forma: http://twitpic.com/f9mwe

    Abraços,
    Júnior

    Responder

  16. Tambêm acho que no fúturo os blogs devem ser utilizados para educação, melhorando e reduzindo o analfabetismo.. (brincadeira)rssr
    Passei pelo mesmo problema e concordo com sua opinião, fiz um tutorial básico sobre "como se increver no adsense" basicamente é só acessar o site e preencher o formulário, enfim. Duas semanas depois aparece um comentário em meu blog totalmente maldoso escrito mais ou menos assim com letras maíusculas " se é para ensinar ensina direito uma coisa tão complicada…" Eu pensei comigo !@%¨&* se é para aprender leia pelo menos duas vezes e até o fim. Esta realiade é dura e dificilmente alguma coisa vai melhorar nos próximos anos enquanto nossos "representantes" estiverem mais preocupados em se promover do que promover a educação.

    Responder

  17. Te juro que comentei isso com uma amigo ontem mesmo. Temos blogs, onde usamos muitas imagens. O problema era que apesar de escrevermos textos o pessoal apenas olhava as imagens.

    Descobri que podemos criar uma postagem totalmente errada, com falsa informação e fontes inexistentes, mas sabem o que acontece se tal matéria estiver com várias imagens? Eles olham as imagens e comentam apenas elas! Se tivermos uns 20 comentários apenas 1 ou 2 irá perceber o erro e indicar ao editor.

    Outra coisa que percebi, e essa realmente muito nefasta, é a tendencia de vários blogs "bombantes" de usarem apenas uma imagem, sem texto algum, e a força que uma postagem destas possue. Por mais ridícula que seja a imagem é fato que fáz mais sucesso que um belo texto escrito após horas de pesquisa.

    Eu sinceramente tenho carregado o blog de imagens, mas não desisti de ainda cativar os visitantes pelo texto!

    Ah, e eu lí todo seu post, só não vi o video. Sou do contra, prefiro textos aos videos! hehehe

    Responder

  18. Excelente observação, já discutimos a respeito disso no Futepoca e analisar o uso que se faz da internet é bem elucidativo nesse caso. Embora o acesso à rede se amplie ano a ano, a maioria dos usuários a utiliza para redes sociais do tipo Orkut ou para leitura/ envio de e-mails. Ou seja, nada edificante ou que treine de fato a leitura e/ ou acumule conhecimentos um pouco mais densos.

    Acredito que não somento o investimento em educação seja necessário, mas também é fundamental aliar o uso das novas tecnologias a métodos também novos de educação, o que pode ser essencial para mudar esse quadro. O problema é treinar toda uma geração de pedagogos e professores que não estão habituados a essas tecnologias. Assim, o abismo entre aluno e professor fica cada vez maior e os analfabetos funcionais continuarão sendo formados nas nossas velhas escolas…

    Responder

  19. Eu li. Não só li, como concordo, pois sou blogueiro e já havia percebido isso, embora ainda não tivesse escrito nenhum artigo sobre o tema. E há mais coisas além das que você citou.

    Pior do que a preguiça de ler, é a preguiça de escrever e o uso do "internetês" na escrita normal, fora da internet. A geração mais jovem está desaprendendo a escrever corretamente, misturando linguagem de internet com a do Português oficial (escrevem "naum" em lugar de não; "vc", em lugar de você; "pq", em lugar de porque; "bjs" e "abs", em lugar de beijos e abraços. E por aí vai. Pontuação? Nem pensar. Parece que para eles isto não faz falta.

    É um fenômeno que precisa ser melhor estudado. Parabéns pela matéria.

    Responder

  20. Olá,
    também penso muito sobre o analfabetismo funcional. Gostei muito do teu texto por trazer essa preocupação para a internet. Ainda não vejo pesquisas consistentes na área, e estou disposta a empreendê-las.
    Pretendo trocar ideias contigo sobre esses assuntos e, quem sabe, possamos contribuir para a melhoria na compreensão de leitura e na importância do ato de ler (na íntegra, como você bem salientou).
    Abraço,
    Chris

    Responder

  21. Olá, como a maioria aqui eu também concordo em gênero número e grau, tenho tido este mesmo problema em meu blog, a taxa de rejeição é bem grande, e o tempo estimado que as pessoas ficam nos meus artigos dificilmente ultrapassa 3 minutos.

    Infelizmente vou ter que me adaptar e começar a apelar para Youtube se quiser manter meu blog vivo por muito tempo.

    Responder

  22. Estou há tempos procurando um blog como esse, crítico e ao mesmo tempo didático e cheio de injeção de ânimo. Parabéns!

    Responder

  23. Oooi! Eu li o texto até o final! Ótimo texto, por sinal (mas é claro que mostra uma triste realidade). "[…]Têm acesso, mas não conseguem usar o que têm." Falou tudo. Mesmo que já tivesse noção disso, me surpreendi com esse pessoal com apenas cerca de 1200 palavras no vocabulário prático deles. Credo! Isso me lembrou que quando fui fazer o último ENEM, conversei com uma guria e com o pai dela (ambos também fizeram o exame). E conversa vai, conversa vem, o homem disse que quanto menos linhas eles exigissem na redação, melhor ele achava, porque quanto menos ele escrevesse, menos chance tinha de errar. E eu fiquei tipo "putz, para mim é justamente o contrário… me preocupo sempre com o máximo, porque querendo ou não sempre passo desse máximo no rascunho e gasto um bom tempo sintetizando meus esboços". Tudo bem que ele queria fazer o ENEM para ter o diploma de ensino médio, ou algo do gênero (não sei como isso funciona)… mas mesmo assim, tenho certeza que deve existir pessoas da minha idade que pensam da mesma forma. E isso me desagrada. Afinal, eles escrevem pensando em expressar claramente suas opiniões, ou apenas porque "os tiozinho que fizeram essa prova não sabiam mais o que perguntar daí mandaram a gente escrever textinhos". ¬¬'

    Responder

  24. Visito seu blog todos os dias, mas ainda não havia lido esse artigo.
    Achei interessante, e mesmo que meu português não seja um exemplo, sou capaz de ler e entender qualquer texto. Não me lembro quando/se aconteceu alguma vez comigo de ler um texto e não compreender. Sou um devorador de livros, não sei ao certo quantos já li, mas sei que foram muitos e concordo com o que você diz, o futuro dos jovens é sombrio como leitor e como ser humano.

    E sim, eu tive coragem de ler até o final e já estou com a pagina da pesquisa aberta para ler.
    Obrigado por seu ótimo artigo e parabens pelo blog.

    Responder

  25. Fiquei feliz por ter lido o texto até o final! 😀 E o mais importante: ter compreendido!

    O que você disse é verdade, esta geração está lendo cada vez menos e ficando mais ignorante. Estamos vendo jovens caminhando mais rapidamente para o buraco da pobreza de conhecimento.

    Mas o mais imporante não é isso! O mais importante da vida não ser um intelectual. O importante da vida é ter JESUS no nosso coração. O que deve prevalecer é o amor ao próximo, que está morrendo mais rápido do que o conhecimento.

    O que tem realmente importancia e que tem infinita capacidade para tirar esta geração do abismo é DEUS. É DELE QUE PRECISAMOS! ^^

    Responder

  26. "Us anaufa sempri izistiu brodi ta mas claru ojindia purcausa da net"
    Tradução: O analfabetismo sempre existiu, o que ocorre é que está muito mais evidenciado na atualidade face o advento denominado internet. E a curva é ascendente…

    Um dia desses tava conversando juntamente com um amigo sobre como seria se houvesse a língua 100% brasileira. Iria resolver parte do analfabetismo…rs

    "Falando" sério agora, não posso deixar de concordar com o comentário do Ministério, pois, em Jesus Cristo está a fonte da sabedoria e do conhecimento, como diz na epístola de Tiago, cap. 1, vs. 5: "E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada."

    Responder

  27. Concordo plenamente com você. Eu visito comunidades no Orkut e percebo que as pessoas não utilizam pontuação nem ascentuação, e quando utilizam, utilizam errado, querem dizer algo, e acabam falando outra. Tenho um amigo assim: mando uma frase de três linhas, ele lê a primeira e acha que é o suficiente. Eu insisto com ele, mas infelizmente a cada dia eu percebo que fica pior – a escola pede para ler livros do tipo de 100 páginas, 90% da classe procura por resumo na Internet!
    Às vezes até eu fico desanimado.

    Responder

  28. O assunto em questão faz parte da minha rotina de trabalho. Li os comentários e não pude deixar de notar, que apesar das críticas às pessoas que escrevem errado (ou fora da gramática normativa), muitos comentários tinham "erros de português", tais como: "ascentuação, fúturo, tambêm, increver, devemos se preocupar". Até aí tudo bem, eu acho. Mas acreditar, que permitir o acesso de todos à internet é "pobretizá-la" soa elitista demais. O buraco é muito mais embaixo…

    Responder

  29. Ótimo post! Realmente é isso que está acontecendo com essa geração, até me incluo nessa, mas eu faço uma forcinha a mais ahuauhhu

    Responder

  30. Cometer erros de português simples trocando letras, esquecendo uma acentuação, até que é aceitável, principalmente. Mas ler um texto e não entender o óbvio que está escrito, isso é inaceitável.

    Deparo com essa situação diariamente, sou Téc. em Informática, presto suporte técnico, e vocês não imaginam o que vejo todos os dias.

    Exemplo: O carinha me liga dizendo que o Software (programa) que ele está usando abriu uma janela com um aviso: “Existe uma nova versão para o programa ABC, clique em Atualizar para instalar a nova versão ou clique em Cancelar para fechar a janela.” Dai ele me pergunta: “Como faço para sair dessa janela?”

    Esse não é um caso único, é na verdade esse é um exemplo que acontece com frequência, as pessoas não sabem ler e interpretar coisas óbvias, que estão na frente do seu nariz. Preferem sair perguntando para o primeiro que aparece, nem tentam pesquisar um pouco ou procurar uma solução sozinhas. Comodismo total.

    Responder

  31. Concordo com sua opinião. Mas com a entrada desses e-books no mercado, acho que teremos outra revolução na escrita e leitura de livros. Espero que tudo se torne mais acessíveis. Pois atualmente os livros são caros e os investimentos por trás deles ainda pior.

    Responder

  32. Bom, como disse o garoto ali em cima [ahuashaushausasa]

    “…trocar um g por um j pode não ser tão grave”, a não ser que ele seja um blogueiro, a questão não é só o perigo da falta de leitores,e sim que tem gente que quer ter um blog e NÃO SABE ESCREVER, cara,eu estou com 7 teclas do teclado aguardando manutenção e mesmo assim não demoro e dificilmente publico algo com erro de ortografia…

    Outra coisa, só se aprende a escrever, lendo.

    Obrigado por ler, você é um exemplo de cidadão 😀

    Responder

  33. Achei este blog através de uma pesquisa no google e gostei muito tanto do conteúdo quanto da qualidade das informações fornecidas aqui.

    Este post me preocupou muito. Criei recentemente um blog exclusivamente voltado para postar pequenos textos que produzo, sobre assuntos diversos, e cujo foco obviamente são os textos em si. Mas como fazer prosperar um blog literário se as pessoas cada vez mais leêm menos e pior? Meu estilo, como escritor, não é simples e minhas opiniões são fortes. Estou começando a achar que não é o veículo certo para mim… :/

    Responder

    • Leo, talvez sua intuição esteja certa. Quem escreve bem, tem opiniões fortes e trabalha basicamente com textos e metatextos… não se encaixa bem na blogosfera, que é o reino do vale tudo (que em geral não vale nada).

      Responder

  34. Atuo num espaço “paradigital”, se é q isso existe. Faço revisão e formatação ABNT de teses e dissertações para alunos das melhores universidades brasileiras, mas tb dos pseudocursos superiores q abrem todo dia ao lado de cada “igreja” universal. Uso o pc como usava minha olivetti linea 88, aos 14 anos de idade, pra (supostamente) datilografar (verbo extinto) os trabalhos dos colegas. Na verdade quase sempre fazia os trabalhos, de cabo a rabo. E ficava injuriada pq eles tiravam 10, e eu, 8, na mesma tarefa. Vejo que não evoluí muito. Como o professor de melancolia do Machado, também eu tenho servido de agulha a muita linha ordinária. Mas eu “superentendo” a meninada
    (ai, galera!)de hoje. Eles seguem a matilha… como todos fazemos desde a caverna – e antes! Teu blog tem sido literalmente uma mão na roda (qualquer que seja o significado da expressão, hoje). Abraço.

    Responder

  35. Li seu texto até o final, só para seu conhecimento.
    Mas gostaria de contar meu caso para você. Estou fazendo um curso de matemática e estou tendo muita dificuldade em algumas matérias tipo sociologia, não consigo me concentrar e nem me interessar pelo assunto. Hoje fazendo um trabalho sobre analfabetismo e empregabilidade descobri sem querer que sou uma analfabeta funcional, fiquei muito triste com isso mas ao mesmo tempo gostei de saber que minha dificuldade tem um motivo. Será que consigo mudar, passar a ser uma pessoa que le e entende.
    Abraços.

    Responder

  36. Pingback: 4 dicas para escrever artigos melhores no Blog | [ Ferramentas Blog ]

  37. Incrível como me identifiquei com este post! Eu devo possuir mais de 1.000 apostilas e E-Books arquivados em meu computador, dezenas de sites em favoritos, centenas de artigos salvos no formato .doc, docx, uma estante cheia de livros e apostilas, muitos dos livros que compro eu leio apenas as primeiras páginas, acreditando assim que só o fato deles estarem ali, Já acredito possuir todo aquele conhecimento! Mera ilusão! O mesmo acontece com os E-Books arquivados em meu computador. Qual solução para esse problema? Como ter a disciplina necessária para iniciar um processo de leitura gradual de todos os meus livros e e-book´s? … Abraços!

    Responder

Deixe um comentário

Ao comentar você concorda com nossa Política de Comentários.