O que é um kibador (kibar)? O velho debate sobre plágio

Siga o Ferramentas Blog: Canal no Youtube | Facebook | Twitter | Google+
Acesse AGORA: https://blogueiro.pro e se torne um Blogueiro de Elite.

Muitas gírias usadas na internet, especialmente hoje em dia no Twitter e entre blogueiros, surgem e alguns acabam não entendo bem seus significados. Um desse é o verbo “kibar”. Nesse caso a origem e sentido da gíria são bem conhecidos e esse tipo de gente, denominada “kibador”, está entre as mais odiadas da blogosfera.

Essa nova “palavra” do vocabulário internetês tem uma pequena ligação com a comida “kibe”, mas não se refere ao alimento, mas a uma prática detestada e abominada por qualquer blogueiro sério.

 

plagio-copiar-kibar-kibador

“Kibar” é o mesmo que “plagiar”, copiar ilegalmente algo de terceiros e usar como criação própria. Mesmo quando citam a fonte, sua origem é duvidosa ou até inverídica. O “kibador” é treinado nas técnicas do “Ctrl+C / Ctrl+V” e usa sempre a falácia de querer divulgar o que achou de melhor (e dos outros) na internet.

Os plagiadores normalmente são seres incapazes de criar, pensar e desenvolver idéias próprias, vivendo à espreita do trabalho alheio para roubar e apropriar-se do que outros já oferecem (muitas vezes de forma gratuita) na internet.

A origem desse termo faz referência a um blog conhecido justamente por essa prática e seu nome tornou-se um verbo e pronome para identificar as práticas de plágio, roubo de conteúdo e violação de direitos autorais, entre outros. Trata-se do KibeLoco – http://www.kibeloco.com.br/ – que é um blog de humor (mas que não tem graça nenhuma).

Assim: Kibe-Loco = Kibe = Kibar = Plagiar

É um dos poucos verbos transitivos diretos e ocultamente indiretos, já que sempre se kiba algo, mas nem sempre se diz de quem.

É um verbo defectivo, pois não se conjuga nas primeiras pessoas, já que o kibador jamais assume seus crimes, nem mesmo em grupo.

(Descionário: verbete kibar)

Só não se sabe ao certo quando esse termo foi usado pela primeira vez com esse sentido, mas a prática de plágio – kibagem – é anterior ao termo e sempre foi reprovada e considerada uma prática ilegal.

Obs.: Apesar do tom mais descontraído desse post, suas informações devem ser levadas muito a sério.

Mais artigos sobre plágio e kibadores:

Não tenho provas de que o site KibeLoco realmente usa de conteúdo plagiado. Mas é de conhecimento público que vários autores de blogs reivindicam alguns conteúdos.

Já pensou em ser um(a) Blogueiro(a) mais Profissional?

Está cansado(a) de ser um blogueiro mediano(a) e que não tem resultados com seu Blog, não ganha dinheiro e não recebe as visitas que gostaria?

Você chegou aqui procurando como aprofundar seus conhecimentos em Blog, como Ganhar Dinheiro com seu Blog, aplicar as melhores técnicas de SEO, divulgar seu Blog e fidelizar seu público alvo. E posso te ajudar com essas coisas e muito mais, elevando o nível de qualidade do seu projeto.

Desenvolvi um curso completo, totalmente online, cobrindo tudo o que é necessário para um Blog atingir seu potencial máximo, detalhe por detalhe, que vão te tornar um Blogueiro de Elite:
  • Técnicas de produção de conteúdo
  • Fidelização do Público alvo
  • Divulgação e Técnicas de SEO
  • Métodos e técnicas de Monetização
Acesse AGORA: https://blogueiro.pro e se torne um Blogueiro de Elite.

Esta é sua chance de ser mais profissional e ter um blog eficiente, completo e que pode ser sua fonte de renda permanente. Sou Blogueiro desde 2007 e condensei todo este conhecimento dentro do curso Blogueiro de Elite para entregar a você.

49 Comentários

  1. Cara o Kibe Loco é ligado a uma serie de blogs grandes, onde todos trabalho literalmente ligados, com tanto que seja divulgada a fonte e que você de seu toque de criatividade na postagem….

    Mas deixa isso para la… em se tratando da postagem…
    Muito legal! é como você já falou Seria! essa onda de plagiar tem dado dor de cabeça para muitos blogeiros (ainda bem que eu sou um merda – escrevo minhas bobagens e fica só na minha pagina mesmo – no dia que me plagiarem será o fim da blogosfera – kkk – brincadeira)

    Se você ainda não sabe a fundo o que é plagio é bom ler as recomendações do Lemos (é faça as suas próprias conclusões)

    Inté

    Responder

  2. @Alberth,
    É público e notório que o supracitado é constantemente denunciado por plágio e roubo de conteúdo de outros blogs e sites.
    Você pode não concordar, mas nesse caso, não há muitos argumentos a favor do KibeLoco. Ou vc acha que "inventaram" esse termo atoa, por pura injustiça?

    Responder

  3. Eu sofro muito com esse problema no meu blog, e por isso tive que pôr embaixo de cada postagem um aviso, dzizendo que é proibida a divulgação daquela postagem sem a autorização do autor. Porém, muitos não respeitam…

    Já todos os seus posts aqui do blog que falam sobre esse assunto, mas ainda não entendi uma coisa: copiar a postagem de um outro blog sem autorização, mas colocando o link e os créditos do meu blog, é crime?

    Abraços e parabéns pelo excelente blog, que venho acompanhando faz tempo…

    Fernando

    Responder

  4. @Fernando,
    mesmo citando a fonte, se a cópia é proibida (não autorizada), então é plágio e, portanto, crime.

    Responder

    • Que eu saiba, plágio é apresentação/imitação/cópia de obra alheia como sendo de própria autoria.

      Então, se a pessoa cita a fonte, não é plágio.

      Pode ser reprodução de conteúdo não autorizado, mas não é plágio.

      Responder

      • Perfeito, Milena, citar fonte é até reconhecimento à qualidade da origem, sinal que, se vale como referência, é porque tem suas virtudes, plágio é deixar no ar a possibilidade de uma autoria que não existe, é falsa, não passa de reprodução descarada.

        Responder

  5. Marcos, também não gosto da ideia de 'kibar' mas veja, também não concordo com isso que voce diz:

    Marcos Lemos disse…

    @Fernando,
    mesmo citando a fonte, se a cópia é proibida (não autorizada), então é plágio e, portanto, crime.

    Se voce parar para pensar que internet não tem dono , por assim dizer, todo mundo kiba todo mundo.
    Basta dar um click no google que voce já esta fazendo isso…sei lá.
    Acho que desde que a fonte seja verdadeira, tá tudo bem… pois quem qur beber da fonte vai nela.

    No mais, obrigada pela informação do tal kibe =P

    Cintia

    Responder

  6. ótimo artigo!

    umas citaçoes perfeitas pra um momento q passo, vo até mostrar a pagina pra outros amigos!

    parabens marcos! (eu tbm sempre vi a dona do dicas blogger falar kibador e ficava boiando kkk)

    abraços!

    Responder

  7. @Cintia (RaioX),
    Você pode discordar, mas discorda errôneamente e serve para ilustrar o quanto muita gente se engana sobre esse assunto.
    A internet tem leis e NÃO é terra sem dono.

    Citar a fonte não isenta do crime de plágio, violação de direitos autorais, duplicação e roubo de conteúdo – e em alguns casos é crime até de falsidade ideológica.

    Veja os links que citei nesse artigo e estude mais sobre o assunto para não falar besteira e não cometer crimes.

    Responder

  8. ahahaha… meu caro, voce por acaso tá sugerindo que eu falei besteiras?

    "Veja os links que citei nesse artigo e estude mais sobre o assunto para não falar besteira e não cometer crimes."

    tá bom, então sendo assim…
    que atirei a primeira pedra quem nunca kibou

    e, ainda penso que se é assim tão radical, TODOS nós kibamos, né não?

    valeu pelo tato e isso não muda o fato de que aprecio o seu trabalho.

    Responder

  9. @Cintia (Raio-X)
    Eu não "sugeri que falou besteira". Disse que está enganada em sua opinião e tenho o direito de discordar do que disse e considerar isso um disparate de quem não conhece das leis vigentes em seu próprio país e não entende, claramente, o que é plágio, violação de direitos autorias e roubo de conteúdo.

    Eu nunca kibei, nem plagiei nada de ninguém. Abomino essa prática e abomino quem as pratica. Minha opinião está posta em dezenas de artigos e vídeos sobre o assunto. basta ver que fiz meu dever de casa.

    Responder

  10. @Canal Gospel,
    Não só estou cursando Letras, como já tenho duas graduações e um mestrado. Não sou nenhum ignorante de minha língua, ao contrário do que vi em seu parco e murcho comentário.
    Em duas linhas foi capaz de provar a que grupo pertence: analfabeto funcional. Vou reescrever seu comentário, como deveria estar e como caberia a quem pretende criticar um letrado:

    Deveria ser assim (ainda tentando manter um tom informal, mas correto):

    "Para quem está cursando Letras, não está nada bom.
    As faculdades de hoje dão (causam) nojo!"

    Mas ao menos eu fiz faculdade e domino o uso da língua pátria.

    Responder

  11. Marcos, olhando por um lado, do que adianta a internet ter leis se elas não são cumpridas? É um reflexo da vida real, se nem as leis da Constituição são cumpridas imagine as da internet.

    Também sou contra o plágio. Mas acho que você está fazendo uma "espetacularização" sobre o tema. E quanto a conteúdos com carater noticioso ou jornalístico? Quando a galera divulga tal notícia em sites de relacionamento ou blogs, mesmo citando a fonte, é crime?

    Vejo que você tem muita vontade de fazer uma revolução no que se trata sobre a escrita dos internautas. Infelizmente o mundo virtual está cheio de analfabetos, mesmo. Vai ser uma árdua missão reverter esse quadro, não?

    Parabéns pelo site!

    Responder

  12. @Marcelo,
    Notícias de órgãos de imprensa seguem um outro padrão e muitas vezes é permitida a reprodução e uso livre (sem dispensar a citação do original e desde que não seja a íntegra).
    A grande maioria das notícias que vemos são produzidas por uma unica empresa que a distribui. Não estou tratando disso, mas de questões que envolvem criação e direitos autorais.

    Vontade de fazer "revolução"?
    Não… já sou bem grandinho para saber que revoluções não existem.

    Responder

  13. desculpe mas tenho uma última coisa a falar, duas…

    primeiro – eu tinha , de uma certa forma , kibado voce.
    Digo isso porque , apesar de usar minhas próprias palavras , em duas publicações minhas eu comentava sobre o projeto de lei para os blogs que voce divulgou aqui, e comentava inclusive que a notícia era sua. Eu tinha visto primeiro aqui e, recomendava o seu blog diversas vezes. Mas, como eu não pedi permissão para tal, eu realmente tenho que dizer que errei, mesmo sem intenção de fazer isso…errei!
    Mas, já retirei as duas postagens onde mencionava a sua noticia e te 'linkava' à partir do meu blog.
    A ideia não era plágio, me desculpe.

    Agora a segunda coisa-
    Voce é inteligente , percebesse. Mas, acredito que não há necessidade de ser agressivo defendendo suas ideias…
    me perdoe mas voce sugeriu SIM que eu falava besteiras, veja suas escritas:

    "Veja os links que citei nesse artigo e estude mais sobre o assunto para não falar besteiras e não cometer crimes."

    *esta na sua primeira resposta ao meu primeiro comentário.

    X____X

    Encerro o assunto de minha parte, novamente peço desculpas caso tenha feito isso, mas por outro lado, como eu disse e reafirmo, nem tudo que copiamos na internet vem a ser plágio…
    Pense nisso quando voce faz a divulgação das ideias e ferramentas do blogspot, do wordpress e outros aqui no seu blog por exemplo… nada disso é seu (ideia, descoberta, direito autoral, etc), concorda?

    E, também acredito que divulgar noticias que vemos em outros lugares não seria plágio e sim divulgação mesmo ( o que penso que,
    indiretamente, fiz quando publiquei duas vezes falando da noticia que voce divulgou e 'linkando' seu blog).
    Mas, é isso ai, cada um tem sua opinião e ela deve ser respeitada e viva o Google!

    Cintia Fumagalli – Raio X

    Responder

  14. @Marcos,
    artigo esclarecedor, obrigado!

    Gostei da postura firme que demonstrou diante da afronta de alguns leitores. Firmeza, educação e coerência formam um trio perfeito.

    Já em relação à sua resposta ao comentário do Marcelo: porque você alega que não haja revoluções? (fiquei curioso)
    A despeito disso, qualquer manifestação contra o analfabetismo funcional e o descaso da língua portuguesa na rede virtual deve ser, no mínimo, levado em consideração. Nesse aspecto, concordo com cada uma das suas postagens.

    Responder

  15. Apreciei a postagem, li com muita atenção, pois estou em um processo de aprendizagem profundo sobre o que é blogar de maneira profissional e consciente. Vou contribuir com a minha opinião, dizendo que existe sim as grandes revoluções. Porque são através delas que damos largos passos para evolução da sociedade como um todo. Acredito também que hoje em dia o acesso a plataformas como o BLOGGER, é muito fácil e simples, por esse motivo há uma multidão de analfabetos funcionais invadindo esse esfera da internet. O blog foi criado para uso particular e vem se aprimorando para coisas mais profissionais, tudo isso é uma fase de transição onde políticas vão se estabelecer e acredito que tudo vai se arranjar de forma justa. No entanto li os vários comentários que foram postados nesta matéria. E tenho que lhe dizer que se você abomina quem comete plágio, com certeza você deve abominar 90% do seu público, esse mesmo público que te segue. A força das suas palavras tem grande valor aqui nesta plataforma. Acredito eu que conquistou esse enorme número de seguidores por ser admirado por todos. Gostaria de deixar um conselho para você. Como é detentor de muito conhecimento sobre o assunto, dê a nós conselhos e informações para que possamos evoluir juntos. Quero aprender a ser ético, mas vejo uma indelicadeza de sua parte tratar seus seguidores dessa forma.
    Um grande abraço e parabéns por trazer-nos a tona relevante assunto.

    Responder

  16. Se o artigo foi "fodástico", a coerência perante os leitores revoltadinhos foi sensacional. "Kibar", plagiar, não importa o termo, é ridículo, medíocre e imoral. Não respeita os direitos nem o esforço de quem criou, elaborou, teceu a ideia parte a parte. O KibeLoco é o tipo do réu que não precisa de provas para comprovar sua acusação – a postura do site já diz tudo.
    Parabéns

    Responder

  17. Acho bonitinho quando essa turminha vem falar dos leitores 'revoltadinhos' , mas seguinte Sr. Marcos (voce já deve ter visto meu outro comentário, então este é complemento daquele)…

    Voce esqueceu de mencionar na sua publicção anterior, "usando links internos e externos nos artigos do seu blog" que DEVEMOS PEDIR AUTORIZAÇÃO para links externos… ou então a pessoa estará cometendo um crime!
    …um tanto relapso, eu diria… se levar em conta sua opinião super radical nessa publicação.

    Acho que talvez agora voce consiga entender meu ponto de vista sobre'kibar' e quem sabe pensa um pouco melhor antes de dizer que a pessoa fala besteiras e é uma ignorante das leis.
    VOCE COMETEU UM ERRO que recrimina, quando incentiva pessoas a fazerem coisas sem total conhecimento e que, posteriormente (este artigo aqui) diz ser crime !
    Veja:

    "Citar a fonte não isenta do crime de plágio, violação de direitos autorais, duplicação e roubo de conteúdo – e em alguns casos é crime até de falsidade ideológica."

    Espero ter ajudado

    😉

    Responder

  18. @Cintia (Raio-X)
    Vc continua fazendo papel de ignorante e não consegue entender textos simples e conceitos básicos.

    Plágio diz respeito a "roubo de conteúdo", usar um texto, por exemplo, como se fosse seu.

    No outro artigo, que vc menciona, eu falo de CITAR e indicar links externos, ou seja, não copiar o que outro fez e indicar para seus leitores que leiam direto na fonte.

    Citar links externos é muito diferente de plagiar.

    O trecho que vc usou para se justificar prova duas coisas:
    1. Vc não tem capacidade de ler e interpretar um texto;
    2. Quando digo "Citar a fonte não isenta do crime de plágio", significa e está claro que, quando alguém copia um conteúdo de alguém e, eventualmente, cita também a fonte, não está isento de crime de plágio.

    Só citar a fonte, fazer referência e indicar o link externo de outro, sem copiar ou roubar conteúdo, nada tem a ver com plágio.

    E eu nem seu pq estou me dando o trabalho de explicar isso para você. Eu deveria ter simplesmente excluído seu comentário no momento em que vi seu nickname.

    Responder

  19. @Cintia (Raio-X)

    Ah!
    Quase esqueci.
    Vc ajudou, ajudou muito!
    Serviu de exemplo para ilustrar outro grave problema que temos no mundo dos blogs: Gente que não sabe o mínimo de português, sem capacidade de interpretar um simples texto e que quer ter blog.

    Responder

  20. Belo artigo Marcos! concordo com tudo o que falou neste texto. Muito bom!
    queridos, é o seguinte, acho que o que o Marcos quis dizer é que, quando alguém copia deliberadamente um texto ou imagem, sem permissão, é um plagiador, um kibador (por ignorância ou não)!
    O fato de alguém ler um texto e ESCREVER outro sobre o mesmo assunto ou até como resposta para esse último. Isso é inspiração. se encaixa totalmente fora da discussão!
    ah, parabéns mesmo pelo texto, acho que esse assunto deve ser discutido sempre.

    Responder

  21. É Cintia (Raio X)! Viajou legal hein!

    Hordones, já tinha visto em outro blog que linkar precisa de autorização senão é plágio, mas nunca dei atenção. Agora que apareceu aqui lembrei disso.

    Queria saber onde está o plágio no simples ato de linkar. Estou procurando e não achei até agora. Será a Cintia me ajuda?

    Marco Damaceno

    Responder

  22. As pessoas precisam entender que há uma diferença imensa entre linkar e copiar.
    Explicarei pausadamente, ao linkar estamos trocando favores, estamos direcionando nossos leitores ao blog/site que tenha um conteúdo digno de ser passado adiante.
    Por exemplo, posso fazer um texto com minhas palavras sobre kibar e linkar o Marcos ou outro qualquer outra pessoa que entende mais do assunto do que eu ou tenha um ponto de vista diferente.
    Copiar é quando pegamos o conteúdo do blog/site e colamos em nosso site, o famoso ctrl c/ctrl v. Dessa forma, você está tirando leitores de outra pessoa. E ainda que você colocar o link depois de ter copiado uma postagem inteira, poucos serão aqueles que clicarão nele e lerão o site original.

    Outra dúvida que me pareceu pertinente explicar é que usar um o mesmo tema que outro blog não é copiar ou plágio, desde que você use o tema, mas seja inteligente e criativo o suficiente para criar um conteúdo original.

    Sendo assim:

    Linkar = bom Copiar = ruim

    Assim fica claro?

    Pessoas, antes de argumentar, leiam e interpretem corretamente o texto.
    Não ataquem com trechos que não entenderam. Só estarão se expondo ao ridículo.

    =======================

    Ótima postagem, Marcos.
    Como sempre ensinando mais e mais.
    Continue assim e lembre-se de que ninguém consegue agradar a todos.

    Beijo.

    Responder

    • Exato. Ninguém detém exclusividade sobre um tema. E comentar, linkar e citar outros trabalhos não é apropriação de material protegido.

      As pessoas têm muita dificuldade de diferenciar essas coisas de plágio. A própria definição de plágio ainda é muito mal interpretada.

      Responder

  23. É lamentável a existência de sites, como o @kibeloco, que recebem destaque da mídia à custa da criatividade alheia, sem autorização e consideração da fonte. A falta de originalidade destes, revela o despreparo profissional e o descaso com os direitos autorais por parte de seus mantenedores. Péssimo exemplo!
    Vou mais além, acreditando que até mesmo um texto parafraseado pode ser considerado um plágio camuflado. Portanto, vale a pena ser autêntico.

    Responder

  24. Dicas browser e Marcos, prometo não voltar mais aqui depois disso … desde o começo eu estou sendo mau interpretada mas, ainda gostaria de dizer que…

    eu sei que linkar não é crime de plágio… o que tento dizer desde o começo do meu primeiro comentário:
    quando eu falei isso:
    "Acho que desde que a fonte seja verdadeira, tá tudo bem… pois quem qur beber da fonte vai nela. " – isso está no meu primeiro comentário- quis dizer exatamente isso… se citar a fonte significa que voce não esta copiando, e sim mostrando que viu em algum lugar e falando onde foi.
    Eu mesma já fiz isso com uma noticia que o marcos divulgou aqui, publiquei com minhas palavras a noticia e linkei minha fonte (Ferramentasblog) na publicação.

    Marcos é que esta dizendo desde o começo que estou errada em minha opinião.
    Oras… opinião é opinião, acho que não tem nada errado com a minha.
    Querer impor opiniões é algo ditador até!
    Mas, apesar de pensar que eu seja mala e tal, isso não dá o direito do Marcos me ofender dizendo que falo besteiras ou ainda que sou ignorante por ter opinião diferente da dele sobre kibar (o ato de ) não se kibar é certo ou errado.
    É óbvio que é errado.

    Isso me irritou, tem uma coisa… trate os outros como gostaria de ser tratado.
    Acho que em momento nenhum fui ofensiva a voce , certo Marcos?
    Espero que não, porque isso também é uma questão cultura…quem ofende gratuitamente é ignorante também.
    (se quiser publicar , publique…se quiser -delete)

    Responder

  25. Tenho um prof que sempre dizia:
    O problema da matemática é o português.

    Acrescento que o problema de Todas as matérias é o digníssimo português… lingua tão ampla e vasta que permite pessoas praticamente analfabetas funcionais navegarem e até ter um blog…

    quanta ironia batmam!

    Responder

  26. Pô marcão, sacanagem isso de você ficar falando que analfabeto funcional não pode ter blog! Eu mesmo tenho alguns "pobremas" com o português e tenho um blog. De fato pessoas que pretendem criar conteúdo para um grande publico (nem lembro se público tem assento, no caso de banheiro sim), devem dominar a língua ou submeter seus textos a um profissional, para revisão. Acho que você é muito "seco" e as pessoas pensam que por serem seus leitores devem ser tratadas no "mel" (ou sei lá como falam ai em minas) justamente por seres seus leitores (clientes como se julgam), bom a verdade é que é seu jeito (também sofro com isso), porém na minha opinião, você não deveria ser tão áspero com a ignorância alheia, justamente por ser letrado! Leve em consideração o fato de não ser culpa das pessoas, poucos tem acesso a um estudo de boa qualidade e mesmo que você rebata me dizendo: "o aluno que faz a escola" vou dizer, menos ainda são os que nascem com a capacidade de transformar o ambiente em que vivem.
    Acho até que da pra eu escrever um post la no meu Blog sobre isso, to quase tentando montar um blog de verdade e acredite Marcos, você é minha innnnnnspiração. kkkk
    Abração…

    Responder

  27. Os analfabetos funcionais que me perdoem, mas concordo em gênero, número e grau com os argumentos do Marcos Lemos.

    Infelizmente inteligência, competência, formação e educação são artigos cada vez mais raros neste país.

    Responder

  28. Ah sei la…. eu as vezes copio conteudo, e deixo minha opnião sempre sobre aquilo na postagem. Sempre cito fontes, mas nunca pego coisas de um blog só para não saturar o cara. Pow, não entendo como isso pode ser chato, uma vez que você fez questão de colocar o link do cara =/

    Responder

  29. *Permita-me, T. Bolsari (@blogdobolsari), kibar-lhe: "Pô marcão, sacanagem isso de você ficar falando que analfabeto funcional não pode ter blog! […] De fato pessoas que pretendem criar conteúdo para um grande [público…] devem dominar a língua ou submeter seus textos a um profissional, para revisão. […] … porém na minha opinião, você não deveria ser tão áspero com a ignorância alheia, justamente por ser letrado!"

    Responder

  30. Muito boa a matéria. Me assustei com os comentários, muita gente se deixa levar por que deram algumas risadas lendo o conteúdo do site "kibador" e saem em sua defesa, acredito que não se trate de defender ou acusar, e sim de simplesmente constatar o óbvio e seguir em frente prestando mais atenção antes de se tornar um fã ardoroso de uma coisa falsa e midiática que pode facilmente distorcer a visão de seus "seguidores". Parabéns pela matéria e pela coragem.

    Responder

  31. Para o povo que discute se um analfabeto funcional pode ter um blog ou não, faço a seguinte pergunta:

    Você acha que um analfabeto funcional pode escrever um livro?

    Pare para pensar e verá que blogs e livros são primos bem próximos. A diferença é o acesso.

    (Marco Damaceno)

    Responder

  32. Alberth
    Você não compreendeu meu comentário!

    Marcos
    Esse debate foi D+
    Que bom de você compreendeu minha colocação!
    Abraço

    Responder

  33. Posso até me orgulhar do fato de que meu blog, até hoje, nunca foi copiado nada, mais meus conteúdos estão sob Creative Commons. Marcos Lemos, poderia fazer um post sobre o Creative Commons! (Tá, admito, já copiei bastante, mais como tomei juízo, todos esses kibes foram apagados, hoje, nada no meu blog é cópia, e sempre tem links do posto original, e mesmo se copio, eu faço pegando pedaços, que até hoje não passaram de 2 linhas…)

    Responder

  34. Uma coisa é kibar e a outra é escrever a mesma notícia com redação prória e com base em várias outras fontes que devem ser citadas no mínimo como referência.
    Recentemente percebi pesquisando no Google que os principais resultados de um assunto eram kibes de um post meu. Me dei o trabalho de ir atrás de cada um. Até agora alguns se retrataram e ou colocaram a referência ou retiraram seus posts do ar.
    Mas tem uma praga que é muito chata: Os fóruns. Kibadores criam fóruns a torto e a direito e copiam descaradamente posts para alimentarem tópicos. Aí quando você consegue identificar e denunciar eles ‘banem’ o usua´rio kibador (que desconfio sejam eles mesmos) e em seguida criam outros para kibar.
    Haja paciência prá denunciar todo esse povo pros sistemas de afiliação..

    Responder

  35. Acho que o pessoal não leu o modo como esse Antônio Tabet copia os posts de outros blogs, e ele faz de uma maneira que realmente faz parecer que “se copiou” não foi culpa dele.
    Por exemplo: ele pega um conteúdo que um blog já postou 2 dias antes e dá os créditos para “Fulano, enviado por Twitter/E-mail”. Ou seja, ele vai alegar que internet é gigantesco e que não tem como verificar a fonte e quem seria o culpado seria quem o enviou para ele sem a devida fonte original.

    Mas tem como verificar, digamos parcialmente, se ele “kibou” ou não, verificando a data do post. Quem postou primeiro é quem é de fato o autor. O problema é que assim como o Kibeloco, outros blogs não deixa no sistema a hora em que aquele post foi postado, daí se alguém copiou no mesmo dia fica difícil saber.

    Mas eu creio que muitos blogueiros não reclamam publicamente desse Tabet porque muitos também copiam de blogs gringos e também não deixam os créditos, porque matariam suas “fontes de renda”, pois uma vez que eles divulgarem aonde pegam seus conteúdos, muitos visitantes irão direto ao pote do que esperar o “carregador” do conteúdo, ou pior ainda é alguns outros criarem um blog e ter que repartir o pão com mais um.

    Responder

  36. Esse termo é tão velho quanto mandar apresentação de slides por e-mail…

    Obviamente o Kibe hoje em dia cria algumas coisas comparado a antes, cria até bem ‘-‘

    Mas o que os blogueiros em geral odeiam, é o nome “Kibe Louco” nas fotos, de certa forma tomando pra si os créditos de algum cara que colocou um monte de fotos dos outros juntas fazendo uma piada que era sucesso a 20 anos atras .-.

    Responder

  37. Oi Marcos, acompanho seu o blog e sobre a questão plágio, cópia, “inspiração” vivo em um grande dilema.
    Meu blog trata de assuntos femininos, maquiagem e cosméticos mais especificamente, sou maquiadora e as sempre busco abordar temas que ajudem pessoas leigas nessa área, ou que mesmo o tema parece “batido” prezo em acrescentar um visão pessoal, um dica nova, uma forma de usar o determinado produto diferente. Afinal, os blogs surgiram como diários virtuais e a particularidade na opinião é o seu grande diferencial.

    Acontece que onde moro existem muitos blogs parecidos com o meu, todas nos conhecemos, todas frequentamos os blogs umas das outras e algumas vezes vejo meu conteúdo, que produzo em busca da exclusividade, servindo de “inspiração”.

    Claro que eu não sou a dona dos direitos de nenhum produto, mas quando uma pessoa que você conhece se vangloria por passar aquela dica que você já deu como se fosse dela. E nem se dá ao trabalho de colocar um link no post. Isso machuca. Não sei se quebro o pau ou se fico calada…

    Aguardo sugestões dos leitores

    Responder

  38. Pingback: Gina Indelicada é um bom exemplo para as marcas? | IFDBlog

Deixe um comentário

Ao comentar você concorda com nossa Política de Comentários.